CDL revela que quase 600 mil pessoas estão com as contas em atraso na Bahia

Cerca de 580 mil pessoas na Bahia se encontram inadimplentes. A informação é da Câmara dos Dirigentes Lojistas, CDL. Segundo Carlos Roberto Oliveira, superintendente da entidade, o índice médio de inadimplência é de 7% e o tíquete médio da divida é de R$ 660,00. “Dados indicam que os maiores devedores são mulheres, esse montante atinge 52% das mulheres para 48% dos homens. A faixa etária que lidera a inadimplência são aquelas entre os 21 aos 30 anos”, cita. Ele esclarece os procedimentos necessários à reativação do crédito. “

A CDL orienta procurar o credor e negociar a dívida. Hoje em dia, praticamente todas as empresas possuem setores específicos para facilitar a negociação. A CDL também possui um setor específico destinado a auxiliar o consumidor a negociar seu débito e ter seu nome reabilitado. Ele se chama Departamento de Atendimento ao Consumidor – DEACON, que funciona como facilitador para uma negociação entre devedor e credor e o telefone é 3320-4034”, avisa.

Questionado sobre a expectativa do varejo no tocante diante do momento de endividamento, ele faz considerações: “O atual índice de inadimplência, em média de 7%, é um índice considerado alto. Ele decorre da conjuntura econômica atual, com aquecimento das vendas, aumento do poder de compra, recuperação nos índices de emprego, e principalmente facilidade de crédito”, cita e menciona que o índice se encontra na média quando comparado ao ano de 2012.

Cheques sem Fundos

Recentemente o Indicador Serasa Experian registrou aumento na emissão de cheques sem fundos. A entidade divulgou que foram devolvidos, em maio, 2,15% de cheques em todo o país, conforme revela o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos.

O percentual foi maior que os 2,09% de devoluções verificados em abril, porém menor que os 2,20% observados em maio de 2012. O Indicador apontou que de janeiro a maio de 2013, houve 2,10% de devoluções, contra 2,08% em igual período de 2012. Os economistas da Serasa Experian apontam que o aumento na devolução de cheques sem fundos em maio é decorrente da sazonalidade do mês.

As compras do Dia das Mães aliadas ao endividamento do consumidor e ao comprometimento de renda com prestações levaram ao aumento da inadimplência neste meio de pagamento. O Indicador apresentou resultados da Bahia. Segundo o estudo, a devolução de cheques no Estado em maio deste ano foi de 3,81% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 3,57% registrada em abril de 2013.

Em maio do ano passado, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Bahia havia sido de 3,69% do total de cheques compensados. 

Fonte: Tribuna da Bahia

Iamgem: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: