Cirrose em pacientes de hepatite C está sendo subestimada, diz estudo

Levantamento com 10 mil pacientes nos EUA indica que exames de biópsia tem sido insuficientes para apontar deterioração avançada do fígado

O número de pacientes de hepatite C com cirrose avançada pode estar sendo subestimado, sugere um novo estudo americano. Um levantamento com 10 mil pacientes feito pelo Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos indicou que, apesar de 29% dos pacientes apresentarem o quadro grave, em 18% o diagnóstico não havia sido feito.

A incidência de cirrose em portadores do vírus da hepaptite C, portanto, seria de três a quatro vezes maior que o estimado. Segundo o estudo, o maior problema é que muitos médicos recorrem apenas a exames de biópsia para detectar o problema, e o procedimento só é indicado em um número limitado de vezes.

Os líderes do estudo argumentam que sinais de deterioração avançada do fígado podem ser detectados a partir de outros exames mais simples, como os de nível de enzimas do fígado e de plaquetas do sangue. Segundo os médicos autores do trabalho, não é raro um paciente buscar atendimento para fazer o acompanhamento da hepatite C e descobrir que possui câncer no fígado, alimentado pela cirrose.

A Organização Mundial de Saúde estima que 3% da população global esteja infectada com o vírus da hepatite C hoje. Boa parte dos portadores do patógeno não tem diagnóstico e não sabe que possui a doença, porque em muitos casos ela permanece assintomática por vários anos. No Brasil, o número é estimado entre 1% e 2%.

Fonte: G1/Bem Estar


Compartilhe:

Comentários: