Correios voltam a funcionar gradativamente a partir desta terça (15)

Edifício sede dos Correios teve 14 dias de queda de energia, atrasando 150 mil correspondências neste período

Após 14 dias sem energia elétrica, por conta de uma queda de energia no edifício sede, na Pituba, os funcionários dos Correios fizeram um mutirão neste fim de semana, conseguindo tratar toda a carga de encomendas e 80% das correspondências atrasadas. Não há cargas retidas.

De acordo com a assessoria de comunicação, a sub-estação já foi reativada e a energia restabelecida até o terceiro andar, o que significa que o Centro de Triagem de Cartas voltará a funcionar normalmente a partir desta terça-feira (15). A energia voltará gradativamente aos demais andares.

Todas as agências dos Correios, incluindo a do edifício sede, estão funcionando normalmente.

Relembre o caso
O edifício sede dos Correios, na Pituba, teve uma queda de energia no dia 30 de junho e 2 mil funcionários tiveram que evacuar o prédio. A mesma situação já havia acontecido quatro dias antes, sendo necessário evacuar o edifício mais uma vez.

Segundo a assessoria do órgão, o problema foi causado por um rompimento na tubulação de água, que atingiu a parte elétrica.

Um funcionário que não quis se identificar contou ao Correio24horas que houve uma explosão no local por volta de 8h30 na segunda. “Houve um barulho e estremeceu o prédio inteiro”, disse. O funcionário reclamou da falta de informações por parte da direção do Correios sobre o fato. “Nós somos obrigados a ir trabalhar e não existe um zelo com os funcionários. Ficamos à deriva. Não há uma preocupação da direção. O prédio é antigo e não está claro para nós o que está acontecendo”.

No período da falta de energia, 150 mil correspondências, entre cartas e encomendas, ficaram retidos no edifício sede. O problema provocou atrasos na distribuição das mais de 1 milhão de correspondências distribuídas diariamente pela sede dos Correios.

Apesar de terem sido colocados dois geradores, as instalações demoraram de funcionar e não resolveram o problema.

A Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) notificou os Correios na última terça-feira (8), cobrando providências para que os consumidores baianos não continuassem lesados.d

Fonte: Correio da Bahia


Compartilhe:

Comentários: