Crise leva médicos a fazer pedido de demissão coletiva

Após a repercussão online de um pedido de demissão coletiva assinado nesta segunda-feira, 12, por médicos do Hospital Maternidade Luís Argolo (em Santo Antônio de Jesus),  muitos moradores se solidarizaram, condenando a precariedade em que se encontra a  única maternidade do Recôncavo.

Eles programaram para terça, 13, às 14h  um ato público de repúdio a esta situação, como  também  à  realização da festa de São João no município. Segundo os organizadores, estão previstos gastos de R$ 5 milhões com a festa junina.

O atendimento na Maternidade é 100% bancado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Outros serviços, de convênio e particular, estão funcionando. As queixas são que os médicos enfrentam falta de material e estão há dez meses com salários atrasados.

“Comunicamos oficialmente a demissão coletiva (de obstetras, anestesistas e pediatras que atendem pelo SUS). O sindicato estará aqui ainda esta semana para protocolar o pedido junto ao departamento jurídico. Daremos um prazo para prefeitura e hospital resolverem a situação, para a população não ficar sem assistência”, disse o cirurgião Antônio Carlos Santana.

“Os procedimentos cirúrgicos estão sendo extintos, como cirurgias de próstata e ginecológicas. Os médicos não têm interesse em trabalhar para a saúde pública. A verba destinada à Santa Casa, repassada pela prefeitura, é insuficiente e é do Ministério da Saúde e não do convênio firmado entre a administração e o hospital, porque foi cancelado na gestão atual. A prefeitura é um mero repassador do dinheiro que o Ministério da Saúde destina ao SUS”, afirmou Santana.

A secretária municipal de Saúde Laurijane Mercês disse: “É uma instituição privada, não nos responsabilizamos pela gerência, diretoria e governabilidade. Cumprimos nossa parte, com os repasses”.

Ela participou na noite desta segunda uma reunião com o Ministério Público e a direção do hospital para tratar do assunto. Até as 20h30, a equipe de reportagem tentou contato com  o provedor e o diretor administrativo, Aurelino Pereira e Marcos Brito, respectivamente, mas não conseguiu ser atendida.

Reação online

Após o anúncio da demissão coletiva, o empresário Israel Pires foi o primeiro a postar no Facebook a hashtag ‘Salve o Luís Argolo’, que em poucas horas gerou centenas de compartilhamentos, causando uma grande adesão de internautas que apoiaram o movimento.

Fonte: Portal A Tarde


Compartilhe:

Comentários: