Descubra o que há de bom e ruim para a sua saúde no consumo de chocolate

Se junto com a magia de ganhar ovos de Páscoa vem a culpa por devorá-los, saiba que o chocolate é considerado um alimento saudável, mas só se consumido com moderação. Ele é fonte de vitaminas, de antioxidantes (que previnem o envelhecimento) e consegue até minimizar a tensão pré-menstrual (TPM). Mas como todo exagero alimentar faz mal, o consumo em demasia pode também causar uma série de problemas.

Todos são unânimes em concordar que a melhor opção é o chocolate amargo, rico em cacau. É no fruto que estão os principais benefícios do chocolate. A nutricionista Rita Fleury, consultora de educação e saúde alimentar, explica que o percentual de gordura dos  chocolates  variam muito e destaca que   na versão ao leite a substância também aparece, só que mais tímida, enquanto no chocolate branco só lhe resta a manteiga de cacau – ou seja, apenas a gordura hidrogenada.

O chocolate amargo que tem mais de 70% de cacau é benéfico para a saúde cardiovascular porque tem flavonóides (antioxidante) que atuam diminuindo o colesterol total e o ruim. “Ele ainda melhora a elasticidade arterial que ajuda no controle da hipertensão e possui uma substância semelhante à cafeína que teria ação na prevenção da aterosclerose”, explica a nutricionista.    

Uma dica importante é observar nas embalagens o percentual de açúcar, gordura, valor calórico e do cacau. “O chocolate, principalmente o amargo e o extra amargo que possui  maior concentração de cacau,comprovadamente traz  muitos benefícios para a  saúde cardiovascular e  depressão.  No entanto, o consumo saudável do alimento vai depender do estilo de vida que cada um  leva”, orienta. Para ser considerado chocolate, o produto deve conter no mínimo 25% de cacau. De acordo com a Anvisa, o produto pode apresentar recheio, cobertura, formato e consistência variados. Mas muitos produtos vendidos hoje não contêm este teor e são vendidos como “barra sabor chocolate”.

Mas, fique atento nem tudo é doçura. Existem riscos no consumo excessivo de chocolates no período da Páscoa e após. Além de excesso de peso, a ingestão de grandes quantidades do alimento pode causar problemas como aumento na taxa de glicemia e quadros de diarreia. Para os diabéticos, é indicado o chocolate diet, por não possuir açúcar. Mesmo assim o produto deve ser consumido moderadamente, pois apesar de não ser açucarado, o chocolate diet é mais calórico que o chocolate tradicional. Tomados todos os cuidados agora é aproveitar as delicias do período.  

Fonte: Tribuna da Bahia

Imagem: Ilustração

 


Compartilhe:

Comentários: