Dor nas costas é o principal motivo de afastamentos do trabalho no Brasil

No ano passado, foram mais de cem mil afastamentos registrados no INSS, um aumento de 4% em relação a 2013.

Se você sofre de dor nas costas, talvez sirva de consolo saber que você não está sozinho. No Brasil, esse é o principal motivo de afastamentos do trabalho. Mas a maioria das pessoas poderia evitar isso.

Ricardo voltou ao trabalho depois de dez dias afastado por causa de uma dor forte na coluna.

“O médico entende que ainda não é um caso cirúrgico, então vou partir para sessões de fisioterapia, fortalecimento muscular e acompanhar o problema para ver como evolui”, conta o advogado Ricardo Soares Santos.

A dor nas costas é a principal causa de afastamento do trabalho, segundo o INSS. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, oito em cada dez pessoas vão ter problemas de coluna em algum momento da vida. E a postura errada é uma das maiores causas de lesões na lombar.

“Ficar sentado por muito tempo aumenta a pressão interior dos discos intervertebrais, que são essas peças de cartilagem no final da coluna. Em segundo lugar, a musculatura que envolve a região lombar precisa ser trabalhada, porque ela funciona como um suporte adicional à sustentação de peso”, afirma o ortopedista do Hospital Albert Einstein Alberto Gotfryd.

No ano passado, foram mais de cem mil afastamentos registrados no INSS, um aumento de 4% em relação a 2013.

A empresa mostrada no vídeo acima tinha uma média de dez afastamentos por ano e conseguiu reduzir o problema a zero.

Claudia Souza, gerente de RH: Nenhuma pessoa afastada.
Jornal Nacional: Quer dizer, é um investimento que vale a pena fazer?
Claudia Souza: Vale muito a pena.

A recomendação de fazer uma pausa no trabalho, de hora em hora, para alongar, é estimulada com a ginástica laboral.

A fisioterapeuta explica qual a postura correta para evitar as dores.

“Ela deveria estar com a lombar apoiada no apoio, no encosto ou, se não possível, arrumar almofadinha, algum apoio de coluna lombar”, diz a fisioterapeuta Fabiana Zanutto.

O computador tem que estar a 50 centímetros de distância. É só esticar o braço para ver.

“Porque se tiver muito longe, muito distante, automático é fazer a extensão. Se tiver muito próximo, automático, eu vou fazer a flexão. Então aqui, mantém a postura neutra”, mostra Fabiana Zanutto.

Os nossos pés, diz ela, precisam estar totalmente apoiados no chão. A postura ideal é com ângulos retos no quadril, joelho e tornozelo. E a empresa tem até um serviço de massagem.

“Parece que os problemas ficam na cadeira realmente”, observa uma mulher.

Fonte: G1 / Jornal Nacional


Compartilhe:

Comentários: