Duas casas desabam durante a madrugada, afirma Defesa Civil

Não há registro de feridos em nenhuma dos casos, que aconteceu na capital.
Na avenida ACM a água a tomou conta das duas pistas.

Duas casas desabam durante a madrugada, diz Defesa Civil (Foto: Lorie Anjos / Arquivo Pessoal)Choveu forte em Salvador durante toda a madrugada desta quinta-feira e em muitos locais da cidade, as ruas ficaram completamente alagadas. Duas casas desabaram. Em um dos imóveis, localizado no bairro do IAPI, os escombros caíram em cima de um botijão de gás e os moradores ficaram assustados. De acordo com a Defesa Civil, ninguém ficou ferido. Em outro bairro da capital, uma casa desabou completamente. Ninguém habitava o local e não há registro de feridos.

Na avenida Antonio Carlos Magalhães (ACM), também na capital, a água tomou conta das duas pistas e os motoristas tiveram que abandonar os carros. 

A previsão metereológica indica que Salvador continurá com chuvas isoladas até domingo (21). Segundo Cláudia Valéria, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o período chuvoso no estado vai de abril até junho.

De acordo com a Defesa Civil, até as 07h49, 16 solicitações de emergência foram registradas. Um alagamento de área, um alagamento de imóvel, três ameaças de desabamento de imóvel, uma ameaça de deslizamento de terra, três árvores caídas, dois desabamentos de imóvel, três desabamentos de muro e dois deslizamentos de terra. Não há registro de feridos. O órgão informa que permanece com o plantão 24 horas atendendo às solicitações pelo telefone gratuito 199.

No interior
No interior do estado, a chuva também provocou estragos. Em Jaguaquara, a 336 km de Salvador, casas foram destruídas e mais de 180 famílias estão em situação de risco. Desde o domingo (14), dez casas desabaram e outras 50 estão em risco de desabar. Na tarde da terça-feira (16), uma hora foi o suficiente para alagar a via principal da cidade.

A prefeitura informou que medidas estão sendo planejadas para dar suporte à população. A prefeitura informou também que está analisando a possibilidade de deslocar as famílias desabrigadas para uma escola pública. Apesar das chuvas, Jaguaquara é uma das 96 cidades que enfrenta o racionamento de água no estado por conta da baixa nos reservatorios que atendem à região sudoeste do estado. 

Metereologia
Mesmo com as chuvas que têm caído em parte do estado, o problema da seca na Bahia deve continuar, de acordo com informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Segundo a meteorologista Marinês Cardoso, os registros de chuvas no estado ainda são considerados “pontuais”.

“Na região sudoeste, por exemplo, o prazo de chuvas está previsto para terminar no final de abril. Há chuvas pontuais, mas não temos no satélite previsão de chuvas suficientes para amenizar o problema da seca”, aponta. Conforme explica a especialista, os índices pluviométricos estão abaixo da meta trimestral na maior parte do estado, principalmente nas regiões do semi-árido, do oeste e do sudoeste. A expectativa é que as chuvas, ao fim de abril, retornem somente a partir do mês de outubro.

Fonte: G1


Compartilhe:

Comentários: