Edital irá selecionar entidades para promover cursos para a juventude negra

Cerimônia de lançamento da segunda edição do Núcleo de Formação de Agente de Cultura da Juventude Negra aconteceu ontem (18)

Foi lançada, nesta quinta-feira (18), em Salvador, a segunda edição do Edital Núcleo de Formação de Agente de Cultura da Juventude Negra. Trata-se de uma iniciativa do Ministério da Cultura, por meio da Fundação Cultural Palmares (FCP), que fará um investimento de aproximadamente R$ 4 milhões em todo o país para qualificar profissionalmente 1.200 jovens negros. Destes, 350 serão no Nordeste, para atuar no mercado brasileiro.

O lançamento contou com a presença da ministra da Cultura, Marta Suplicy e do governador Jaques Wagner. Contudo, antes do evento, os dois, juntos a outras autoridades, visitaram o Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira (Muncab), no Centro Antigo de Salvador, para realizar uma reunião técnica no intuito de discutir a federalização do espaço.

“Nossas dívidas ainda são muito grandes com o povo africano, que aqui chegou escravizado para construir a nação brasileira, e contribuiu com a nossa religiosidade, a nossa cultura, a nossa culinária. Este resgate tem que ser feito principalmente por aqueles que militam no movimento e nós, como governo, fazemos políticas públicas para abraçar esta luta de afirmação e resgate” disse o gestor estadual.

Alunos receberão bolsa de incentivo

O edital irá selecionar dez propostas de entidades, que possuam capacidade técnica e administrativa para oferecer cursos de formação profissional na área cultural à jovens negras e negros do ensino fundamental, completo e incompleto, oriundos das classes sociais C, D e E, de todas as regiões brasileiras. Todos receberão uma bolsa incentivo que poderá ter duração de até dez meses. As capacitações são nas áreas de iluminação cênica, figurinista, desenhista de moda e mais 15 cursos.

“Nossa vontade é que logo depois dos cursos, os jovens já estejam encaminhados para atividades profissionais”, disse o presidente da Fundação Palmares, Hilton Cobra. Segundo o secretário da Promoção da Igualdade, Elias Sampaio, o edital é necessário para aprofundar o processo de empoderamento da juventude negra e para o desenvolvimento das políticas públicas que atendem a esse segmento. “É um passo muito significativo do ponto de vista institucional. A ideia é formar os jovens para o mercado de trabalho numa área importante para a sobrevivência financeira e afirmação enquanto representante da cultura negra”.

Fonte: iBahia

Imagem: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: