Empregada confessa ter matado e enterrado patroa, desaparecida há dois meses

Após ser detida, a doméstica confessou que roubou R$ 5 mil da patroa, e enterrou o corpo dela em um dos quartos da casa

O corpo de uma aposentada de São Paulo, que estava desaparecida há dois meses, foi encontrado dentro da própria casa onde ela morava em Itanhaém, no litoral do estado. A empregada doméstica de Terezinha Barbosa confessou ter envolvimento com a morte da patroa, além de ter enterrado o corpo dela na residência. A aposentada tinha sido vista pela última vez no começo de agosto.

A polícia acredita que o crime foi premeditado pela funcionária. A única filha de Terezinha, que mora na capital paulista e ia visitar a casa da mãe esporadicamente, registrou um boletim de ocorrência após não conseguir falar com a mãe por um mês.

Ela disse que não encontrou o carro da mãe no local, assim como dois cartões de crédito e os dois cachorros da aposentada.

Após ser detida, a doméstica confessou que roubou os cartões e R$ 5 mil da conta da aposentada. O corpo de Terezinha foi localizado em um dos quartos da residência.

“Ela estava embaixo da terra, em uma profundidade de aproximadamente 1,5 metro”, disse o delegado Douglas Borguez, em entrevista ao G1 Santos. “Ela pode ter sido envenenada. O autor teve o cuidado de colocar o cal e de cimentar. Foi uma atitude premeditada”, opinou.

A causa da morte da aposentada ainda não foi determinada, e só deve ser esclarecida após o resultado de um laudo. A Polícia Civil paulista ainda acredita que outras pessoas participaram da morte de Terezinha.

“Trabalhamos com a hipótese de homicídio ou latrocínio”, garantiu Borguez, que atua na Delegacia de Investigações Gerais (DIG). A empregada doméstica foi liberada, e deve responder inicialmente pelo crime de ocultação de cadáver.

Fonte: Correio da Bahia


Compartilhe:

Comentários: