Empresa de pneus reduzirá emissão de CO2

A partir do mês de junho do próximo ano, a empresa Pirelli começará a reduzir a emissão de aproximadamente 2 mil toneladas de CO2 (dióxido de carbono) dentro de cinco anos, evitando a combustão de gás natural. Esta mudança será possível graças à instalação do primeiro equipamento solar de grande dimensão, na sede da empresa em Feira de Santana.

 O equipamento será responsável pela produção direta de vapor a uma temperatura média para utilização no ciclo de produção de uma fábrica. O projeto é uma parceria com o Ministério do Meio Ambiente italiano e colaboração do Fórum das Américas. A iniciativa foi apresentada ao secretário municipal de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Semmam), Roberto Tourinho, na manhã de ontem, na sede da secretaria.

 O equipamento solar vai ser conectado diretamente às linhas de vapor utilizadas para a produção de pneus, e o campo dos coletores solares terá uma superfície espelhada de aproximadamente 2,4 mil metros quadrados. A potência de pico do equipamento poderá chegar a 1,4 MW térmicos, garantindo uma cota de armazenagem térmica do ciclo de produção regular da fábrica.

“Este é um processo inovador, onde vamos aproveitar os raios solares para gerar energia térmica, ou seja, vapor, para utilização diretamente no processo de fabricação de pneu. Já apresentamos este trabalho ao Inema (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos) para contar com a parceria, porque é um trabalho a quatro mãos”, disse coordenador de Segurança e Meio Ambiente da empresa no município, Reginaldo Silveira.

 “Já foi fechado o acordo junto ao Ministério e aprovada a verba para a implementação do sistema. Nesse momento, a gente está fazendo os trâmites de licenciamento, provavelmente em janeiro e fevereiro a gente começa a instalação da obra, e a partir de junho de 2014 a gente está com a estação trabalhando”, acrescenta o coordenador.

O secretário de Meio Ambiente, Roberto Tourinho, observa que vindo a funcionar, a empresa será a primeira no mundo a adotar esse tipo de mecanismo. “Trata-se de uma modalidade ecologicamente correta, onde traz impactos positivos ao meio ambiente. Nós estamos apoiando por entender que todas as ações ecologicamente corretas recebem o apoio do poder público”, declara.

Fonte: Tribuna da Bahia


Compartilhe:

Comentários: