Estudo revela que fumar durante a gravidez pode causar infertilidade nos descendentes

Pesquisa aponta que 13% dos casos de infertilidade estão ligados ao cigarro

Apesar do Brasil atualmente ser referência na redução de número de fumantes, conseguindo uma diminuição de 20% do consumo de tabaco entre os anos de 2006 e 2012, segundo pesquisa da UNIFESP, ainda não podemos comemorar, pois enquanto há fumantes a saúde está em risco “Fumar não apenas mata, mas também diminui a qualidade de vida dos fumantes e prejudica seus descendentes” alerta Dra. Isa Rocha, especialista em reprodução humana do IVI Salvador.

Atualmente 13% dos casos de infertilidade estão ligados ao fumo. Homens e mulheres fumantes têm três vezes mais chances de sofrerem de infertilidade, e se fumam mais de 20 cigarros ao dia o risco chega a 43%. Outros problemas associados para as mulheres que fumam é entrar mais cedo menopausa, além de, estando grávida, aumenta o risco de abortos e gravidezes ectópicas. Enquanto homens fumantes têm maior porcentagem de espermatozoides anormais comparados com não fumantes.

Risco de saúde para filhos de fumantes
O estudo “The impact of cigarettesmoking on the health of descendants” (O impacto de fumar cigarro na saúde dos descendentes) realizado pelos doutores Sergio Soares e José Bellver, ambos do IVI, revelou que mães que fumam mais de 10 cigarros ao dia durante a gravidez podem provocar infertilidade no filho homem quando adulto, já que provoca uma redução na concentração de esperma de 20 a 40%. No caso do bebê de sexo feminino, pode causar uma reserva limitada de óvulos e subfecundidade.

Estudos realizados em grupos de 10 crianças demostraram que os casos onde a mãe fumou durante o período de gestação, apresentaram irritabilidade, falta de atenção e reduzida resposta a estímulos auditivos, bem como atraso na linguagem em comparação com outras crianças que não foram expostas ao tabaco em sua etapa pré-natal. Além disso, estes bebês podem ter no futuro problemas de desenvolvimento escolar e mais tendências a comportamentos antissociais.

“O ideal é não fumar, mas principalmente quem quer ter filhos deve ter esta preocupação ainda mais presente durante toda sua vida” conclui Dra. Isa.

Fonte: iBahia


Compartilhe:

Comentários: