Excesso de velocidade lidera as infrações de trânsito em Salvador

Mesmo em vias com radar os motoristas ultrapassam os limites de velocidade

Excesso de velocidade lidera o ranking das infrações mais cometidas em todo o estado. Salvador é a grande campeã. Só na capital o número de notificações dessa natureza é maior do que todo o interior da Bahia. Conforme o Detran-BA (Departamento Nacional de Trânsito), em 2014, no período de janeiro a junho, foram 121.775 infrações desse tipo.

No interior, foram contabilizados 115. 796. A segunda mais cometida é avançar o sinal vermelho, com 76.858 na capital, seguido pela infração de não usar o cinto de segurança que figura na lista com 14.340 ocorrências. Além disso, o excesso de velocidade é a principal causa de acidente grave no trânsito.

Para o major Genésio Luide Souza, Assessor Técnico do Detran-BA,  a computação dos números é fruto de uma melhora significativa da fiscalização nos últimos tempos na capital.  “O fotossensor é muito eficiente e flagra com mais rapidez esse tipo de infração. Isso facilita a fiscalização”, disse.

Conforme ele, o principal motivo que leva esse tipo de infração ser é a famosa “correria do dia a dia”. “Com o ritmo frenético da vida moderna, as pessoas saem com muita pressa, atribuladas e tendem a compensar isso através da velocidade, no trânsito”, afirma Luide.

O diretor de Trânsito da Transalvador, órgão fiscalizador, Marcelo Correa, ressalva que é preciso uma análise cautelosa dos dados, pois a capital baiana tem o maior índice devido, justamente  a maior fiscalização. “Salvador tem quase metade da frota do estado, por isso é maior o índice dessa infração, além do mais só quem pratica fiscalização eletrônica na Bahia é Salvador”, justificou.

A multa para quem transita em velocidade superior a máxima permitida na via varia a depender do grau da velocidade. Se o condutor estiver dirigindo em uma velocidade com até 20% a mais da máxima permitida é considerado infração de natureza média, multa de R$ 85,13 e acumulo de 4 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).  Entre 20% a 50% é de natureza grave, multa de R$ 127 e 5 pontos na CNH.

Já dirigir com a velocidade superior a 50% da máxima permitida é infração de gravíssima, multa de R$ 191 e 7 pontos e conforme o art.291 do Código Brasileiro de Trânsito (CTB), é considerado também crime de trânsito. “Na avenida Paralela, por exemplo, o condutor que transitar com velocidade acima de 130 km está sujeito a um processo penal, conforme rege a legislação”, pontuou major Luide.

O assessor do Detran-BA ressalta no entanto, que apesar da fiscalização os valores das multas são baixos, o que contribui para os motoristas infringir a lei. “Esses valores estão congelados há 13 anos, a meu ver são muito baixos. E ainda o infrator pode demorar um ano para pagar, a maioria, geralmente paga junto com licenciamento do veículo”, revelou.

Ele avalia que o acúmulo de pontos na carteira surte mais efeito do que a própria multa. “A questão da pontuação na CNH é o que mais coíbe a prática dessa infração. É a punição que tem mais efeito, porque quem comete três infrações desse tipo de natureza gravíssima no período de 12 meses corre o risco de ter o registro suspenso”, concluiu.

A mesma opinião tem Marcelo Correa, da Transalvador. “Os valores estão defasados. Não é à toa que vemos o Governo Federal reajustando as multas, como aconteceu recentemente com as ultrapassagens irregulares. Isso mostra que estão defasadas e para algumas pessoas que têm certa condição econômica a multa não é uma penalização que leva a uma reflexão”, avaliou.

Segundo Correa, as ações que o órgão fiscalizador tem feito para reduzir esse alto índice de infração são, a intensificação da fiscalização eletrônica, aliadas as blitze e campanhas educativas. “Iniciamos esse ano com 80 equipamentos de radar que registra o avanço de semáforo e velocidade. Até final do ano vamos implantar mais 50 em toda a cidade. Isso vai deixar a cidade muito bem coberta em termo de fiscalização eletrônica, e somado a isso, estamos desenvolvendo outros trabalhos na área de educação, campanhas e fortalecimento das blitz”, afirmou Correa.

O diretor da Transalvador revelou que pretende reduzir 15% a 20% o índice de acidentes na cidade ainda esse ano.

Fonte: Tribuna da Bahia


Compartilhe:

Comentários: