Falar ao celular enquanto está na tomada é risco que pode levar à morte

Você sabe os riscos que corre ao usar um aparelho celular que esteja ligado na tomada? Nos últimos dias, a prática recebeu mais atenção, após a morte de uma menina de 11 anos, em decorrência de uma parada cardiorrespiratória, no Distrito Federal. O fato aconteceu após o choque elétrico provocado pelo celular enquanto estava na tomada.

Segundo informações da família, o choque foi ainda mais grave por que além do chão estar molhado, um ventilador dividia a mesma tomada do celular, o que causou a sobrecarga de energia.

Estudante de 17 anos, Priscila Lima, não larga o smartphone um minuto. Quando a bateria acaba, o carregador já esta a postos. “Levo o carregador na bolsa junto comigo. A bateria dos aparelhos de hoje em dia não duram muito tempo, e ficar sem whats app, instagram e outros aplicativos é praticamente impossível. Por isso se estou na escola, sento junto da tomada, já pra prevenir. Se estou na rua e não tem tomada, uso o carregador portátil, que é como uma bateria extra e pode carregar meu aparelho sem estar conectado à energia,” explica. Se ela deixa o celular de lado enquanto ele está sendo recarregado? “Até tento, por que sei que dessa forma o processo é mais rápido, mas na maioria das vezes não resisto a dar uma espiadinha,” conta.

A idade muda mais os costumes são os mesmos. O administrador Alan Almeida, diz já ser habito falar ao telefone com ele na tomada. “Gosto de deixar o aparelho sempre no carregador quanto estou no trabalho. Dessa forma quando preciso sair para resolver uma coisa urgente, ele está com a carga completa. Muitas vezes acabo resolvendo o que preciso com ele ali mesmo, seja uma ligação ou uma mensagem. Sei que corro certo risco com isso, mas acaba se tornando um hábito,” disse Almeida.

De acordo com o Major Ramon Dieggo, do Corpo de Bombeiros de Salvador, esse é um dos maiores erros que as pessoas cometem. “Usar o aparelho enquanto ele está carregando. Coloca-lo próximo a cama, embaixo do travesseiro, enquanto dormem. Carrega-lo próximo a fontes de calor. Utilizar a mesma tomada para vários equipamentos está no topo da lista. Todos os acidentes que já aconteceram envolvendo aparelhos celulares foram resultados dessas práticas,” explica.

Ainda segundo o Major Dieggo, as pessoas devem ficar mais atentas ao fazer uso do aparelho celular. “A primeira coisa que deve ser feita ao comprar um celular é ver se ele possui selo de segurança e ler as instruções corretas de uso. Nunca se deve usar o aparelho ligado à tomada, e esse é um dos cuidados que os pais devem ter, por que as crianças ficam jogando no aparelho e adquirem esse costume. Isso causa o superaquecimento, que pode levar até a um incêndio. No verão isso é mais comum de acontecer, por conta das altas temperaturas. Outra dica é evitar colocar o aparelho na tomada em tempos de chuva, por que os temporais trazem instabilidades elétricas, que são conduzidas através da linha telefônica e do carregador do celular. Nunca colocar o celular para carregar próximo do local onde se dorme ou de uma fonte de calor, como televisão, computador, por que em caso de descarga elétrica, a pessoa será a primeira atingida,” pontua.

O Major do Corpo de Bombeiros explica ainda que não se deva usar a mesma tomada como fonte de energia para vários objetos. “Isso acontece bastante. As pessoas usam uma tomada e juntam televisão, ventilador, DVD, som, celular e isso causa uma sobrecarga, que foi exatamente o que aconteceu no caso da menina,” finaliza.

Em caso de choque, mesmo após todos os cuidados, a primeira recomendação é desligar a rede elétrica e desprender a vítima da fonte de energia com um objeto isolante, como um cabo de madeira. Em seguida, verificar se a mesma responde a sinais. Caso sim, ela deve ser encaminhada imediatamente para o hospital. Se não, além de chamar socorro, deve-se iniciar a massagem cardíaca, pois a vítima pode estar em parada cardiorrespiratoria. É importante lembrar também que nunca se pode ter contato na vítima sem os devidos cuidados: ao tocar numa pessoa que está sofrendo uma descarga elétrica, a energia pode ser transmitida e fazer com que o socorrista também seja eletrocutado.

Fonte: Tribuna da Bahia


Compartilhe:

Comentários: