Funcionários do Banco do Nordeste ameaçam iniciar uma greve nacional

A morosidade no pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), para os funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), prevista para o dia 2 de abril está causando descontentamento da categoria.  Os trabalhadores ameaçam paralisar as atividades em todo país esta semana, caso a direção do banco não se posicione sobre a data de pagamento do benefício.

Segundo a presidente da Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste, (AFBNB) Rita Josina Feitosa, além das perdas acumuladas ao longo de anos, e o plano de cargos e remunerações readequados e compatíveis à instituição, o BNB quase sempre é o último banco a assinar o acordo e a pagar a PLR.

“Na semana passada o presidente interino do banco, Nelson Antônio de Souza, informou que estava no aguardo do despacho do Ministério da Fazenda para efetuar o pagamento, mas até agora nada nos foi dito sobre o assunto. A nossa intenção é conseguir entrar num consenso com o banco, mas existe uma insatisfação das bases que pressionam pela greve”, disse.

Ainda de acordo com a presidente, embora o Banco do Nordeste, no ano passado, não tenha obtido um lucro expressivo devido à orientação do Governo Federal no que se refere à divisão de lucro, isso não é impedimento  para que  os trabalhadores recebam  os benefícios no prazo prometido.

“Nossa luta é que o BNB seja avaliado pelo Governo Federal pelo critério de desenvolvimento enquanto uma instituição que opera com base em políticas públicas, e não como instituição comercial como vem sendo feito”, criticou.

De acordo com a  AFBNB, desde março vem se cobrando o pagamento da PLR, bem como informação, transparência e respeito com o trabalhador.  Além  disso, já foram encaminhados  ofícios  sobre o assunto  posto na pauta na reunião  ocorrida com o presidente  Nelson Antônio de Souza na última terça-feira.

Para pressionar o banco, sindicatos e trabalhadores estão se mobilizando.  Na Bahia, funcionários das duas agências do BNB de Feira de Santana  paralisaram suas atividades, no último dia 24,  em protesto pelo não pagamento da PLR. O protesto aconteceu também  em Aracaju (SE), e em Salvador aconteceu em frente à agência Comércio.

“A AFBNB reafirma a sua disposição de luta. Assim, mais uma vez se junta aos sindicatos e aos funcionários do banco por uma causa que é justa e tem razão de ser”, disse a presidente.

A Tribuna entrou em contato com a assessoria de imprensa do Banco do Nordeste, mas até o fechamento desta edição, não foi enviada qualquer resposta à reportagem.

  

 Fonte: Tribuna da Bahia
Imagem: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: