Fuvest aplica nesta segunda-feira prova da 2ª fase sobre sete disciplinas

Prova terá 16 questões com temas do currículo geral do ensino médio.
Portões serão fechados às 13h, e exame terá quatro horas de duração.

A Fuvest aplica nesta segunda-feira (6) a prova de conhecimentos gerais da segunda fase do vestibular 2014, que seleciona os estudantes para 11.057 vagas na Universidade de São Paulo (USP), além de 100 vagas do curso de medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

A partir das 13h (horário de Brasília), os mais de 32 mil candidatos aprovados para a segunda fase farão uma prova com 16 questões dissertativas sobre sete disciplinas (história, geografia, matemática, física, química, biologia e inglês) do ensino médio.

Após a prova, o G1 trará a resolução extra-oficial das questões feita por professores dos cursinhos Etapa e Oficina do Estudante.

O exame terá duração de quatro horas, e os candidatos poderão sair da sala de prova a partir das 15h. Os inscritos que não entregraram, no primeiro dia de provas, a foto 3×4 exigida no edital da Fuvest poderão fazê-lo nesta segunda-feira, ou nesta terça (7), quando será aplicada a última prova da segunda fase.

Além da foto, os estudantes precisam levar um documento oficial e original de identidade (com foto), uma caneta esferográfica azul ou preta, lápis nº 2 e borracha, e alimentos leves e água.

Redação

No domingo (5), a prova do primeiro dia da segunda fase da Fuvest reuniu dez questões de português e uma redação, e foi feita por 30.027 candidatos, com 7,8% de abstenção (2.542 ausentes).

A prova de redação teve como tema o envelhecimento populacional e as formas de lidar com os cuidados médicos às pessoas no fim da vida.  A questão da redação usou como base uma reportagem publicada no site do jornal britânco “The Guardian”, em janeiro de 2013, sobre declarações polêmicas feitas pelo ministro das finanças do Japão a respeito dos altos custos do governo para manter a crescente população idosa do país.

Sem uma pergunta que definisse um tema específico, a prova exigiu que os candidatos considerassem as diversas implicações éticas, culturais, sociais e econômicas sobre o episódio japonês, inclusive a comparação com a realidade brasileira, para redigir um texto dissertativo que pudesse ser publicado em jornais, revistas ou sites jornalísticos.

A prova de domingo também incluiu dez questões dissertativas de português, sendo que todas possuíam duas perguntas e quatro delas abordavam diretamente algumas das obras de leitura obrigatória: “Memórias póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis, “A cidade e as serras”, de Eça de Queirós, “Til”, de José de Alencar, e “Sentimento do mundo”, de Carlos Drummond de Andrade.

Trechos de textos de outros autores também apareceram nos enunciados da prova. Um deles foi o poeta e escritor português Fernando Pessoa, em um texto sobre orgulho e vaidade, que exigiu dos candidatos a interpretação de uma das frases e o conhecimento de sinônimos.

Parte de uma entrevista feita por Clarice Lispector para Tom Jobim, na qual ele cita uma poesia de Drummond, também caiu na prova, exigindo conhecimentos sobre linguagem coloquial e norma culta. Além disso, foi abordado um texto do cronista Rubem Braga.

Os candidatos ainda tiveram que responder a outras questões sobre correção gramatical e concordância, interpetação de texto e diferenças entre linguagem falada e escrita.

Provas até terça

Nesta terça-feira, o último dia de provas terá 12 questões de duas ou três disciplinas, que variam de acordo com a carreira escolhida pelo candidato no ato da inscrição.

A primeira chamada dos aprovados no vestibular da Fuvest será feita no dia 1° de fevereiro. A matrícula online ocorrerá nos dias 4 e 5 de fevereiro, para confirmar o interesse pela vaga, e a matrícula presencial será feita entre 12 e 13 de fevereiro.

Fonte: G1


Compartilhe:

Comentários: