Lojas fazem descontos e promoções para compensar cobrança por estacionamento

A loja Limits, também no Shopping Salvador, está praticando descontos no valor das duas primeiras horas do estacionamento

Quando a estudante Melissa de Oliveira, 18, acompanhada do engenheiro civil Antônio Souza, 27, viu a placa “estacionamento por nossa conta” no fast-food Rock & Ribs, no Shopping Salvador, correu para ver o cardápio. “É uma boa forma de atrair o cliente, todo mundo que vem ao shopping comprar está descontente com a cobrança”, afirmou Melissa.

A Rock & Ribs não está sozinha. Várias lojas em shoppings estão começando a criar promoções para atrair o cliente que tem evitado os estabelecimentos desde o último dia 22, quando o estacionamento começou a ser cobrado.

“Temos apenas quatro meses funcionando e já percebemos que com a cobrança haveria uma queda, tivemos necessidade de cortes de pessoal (duas demissões), a queda de faturamento chega a uns 40%”, explicou Vitor Lisa, proprietária da Rock & Ribs.

Na loja, a cada compra acima de R$ 60, o cliente tem R$ 6 de desconto — não precisa nem mostrar o tíquete do estacionamento. “Não temos nenhuma vinculação com o estacionamento do shopping, praticamos o desconto para o cliente na hora da compra aqui”, explica.A  loja Limits, também no Shopping Salvador, está praticando descontos no valor  das duas primeiras horas do estacionamento. A proprietária da loja, Du Botelho, conta que adotou a estratégia após uma perda de 15% no faturamento. “Depois de dezembro, que é um bom mês para o comércio, nossa maior expectativa é para o mês de junho, que esse ano foi fraco, com os boicotes propostos nas redes sociais e a ida de muitos clientes para o Shopping Bela Vista (que, segundo a assessoria do estabelecimento, ainda não tem data para começar a cobrança). Perdemos o São João e julho também já estava ameaçado”, afirma.

A empresária usou as redes sociais e o cadastro de email do banco de clientes dela para anunciar a promoção. A loja, de moda masculina, concede desconto de R$ 6 para as compras acima de R$ 200.

“O cliente ainda tem os descontos do Liquida Bahia. A gente tem buscado formas de trazer novamente os clientes para o shopping. Tive acesso a uma pesquisa que confirmou uma perda de faturamento de até 30% nos primeiros meses de cobrança em shoppings de outras cidades. É um momento de adaptação”, comenta Du. A empresária, no entanto, ressalta que é favorável à cobrança, considerando que ela inibe o uso considerado indevido dos estacionamentos, mas acredita que o valor  pode ser discutido.

Cristiana Souza, gerente da franquia Mundo Verde no Salvador Norte, foi pioneira da ideia no centro comercial e começou a oferecer o desconto de 5% no valor das compras desde o início da cobrança no final de junho. Na loja, a cada R$ 50 são abatidos R$ 2,50. “Nossos clientes elogiaram muito”, afirma.

Fonte: Correio da Bahia


Compartilhe:

Comentários: