MEC anuncia segunda edição do Fies após cortes no orçamento

Primeira mudança é um limite na renda familiar, que vai diminuir.
Número de vagas que serão disponibilizadas ainda não está definido.

O Fies – o programa de financiamento estudantil para universidades particulares – vai ter uma segunda edição. Com os cortes no orçamento, milhares de estudantes não conseguiram renovar o crédito e ainda ficaram revoltados com problemas no site.

A primeira mudança é um limite na renda familiar. Até agora, estudantes de famílias com renda familiar de até 20 salários mínimos podiam ter acesso a esse programa que financia o curso superior com juros mais baixos. Para as novas vagas da segunda edição, já se sabe que o MEC só vai aceitar inscrições de alunos com renda familiar menor. Os técnicos do MEC ainda estão analisando os dados e vão estabelecer essa faixa de renda.

As outras mudanças têm a ver com a qualidade e com as necessidades de profissionais no país. A prioridade será para cursos das regiões Norte e Nordeste e para três áreas: engenharias, saúde e cursos voltados à formação de professores. O número de vagas ainda não está definido.

Os técnicos do Ministério da Educação estão fazendo e refazendo as contas depois que foram anunciados os cortes do orçamento do ministério de R$ 9 bilhões. Em maio, o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, chegou a dizer que não adiantava reabrir as inscrições do Fies, porque o dinheiro tinha acabado.

O aluno tem que ter tirado pelo menos 450 pontos no Enem e não pode ter zerado a redação.

Fonte: G1 / Bom dia Brasil


Compartilhe:

Comentários: