Menino de 15 anos que passou em medicina pelo Sisu obtém autorização para fazer universidade

Tiago fez Enem com 14 anos e conseguiu nota para passar em universidade federal pelo Sisu

 

http://i2.r7.com/tiago-saraiva-hg-20130118.jpg

Reprodução/Arquivo pessoal

 O jovem Tiago Saraiva, de 15 anos, foi autorizado pelo Conselho de Educação do Ceará a pular o 2º e 3º ano do Ensino Médio e ingressar na universidade. Com a nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), Saraiva se inscreveu no Sisu (Sistema de Seleção Unificada) e foi aprovado no curso de medicina na Universidade Federal do Ceará, no campus de Sobral, onde mora com a família. 

Saraiva fez a prova quando tinha apenas 14 anos e estava no fim do 1º ano do Ensino Médio. De acordo com ele, o exame foi feito como uma forma de testar sem conhecimentos. 

— O colégio tem uma política de incentivar os melhores alunos a fazer o vestibular para treinar. Eu fiz o vestibular de Acaraú (também no Ceará) e tive um bom resultado. Então resolvi prestar o Enem, fiz aulas específicas e fui fazer a prova. 

Ele conta que, ao ver a nota, se surpreendeu com as notas acima da médica. Com isso, passou a acompanhar as notas de corte do Sisu, vendo que tinha chances de passar na federal de medicina. 

—Levei um susto ao ver que passei. Foi um misto de surpresa e felicidade. 

Tiago afirmou que sempre foi um bom aluno e gostou de estudar. Segundo ele, ele tinha uma rotina de estudar em casa cerca de duas ou três horas por dia. Mas o estudo mais intenso acontecia no colégio. 

— Eu chegava 12h e estudava até 22h. Além das aulas normais, tinha aulas voltadas para olimpíadas e vestibulares. 

Idade 

Além de ter apoio dos pais, Tiago afirmou que conversou com a psicóloga do colégio para analisar se está preparado para ingressar em uma universidade, com colegas mais novos. 

— A psicóloga disse que eu tenho certa maturidade para enfrentar a situação. Conversamos e chegamos a conclusão que não seria impactante [as aulas e convivência apenas com pessoas mais velhas].

O pai de Tiago, Santiago Saraiva, conta que ele e a mãe, uma pedagoga, sempre acreditaram no potencial do jovem. 

— Ele sempre foi muito focado, o resultado foi muito gratificante. 

Do R7


Compartilhe:

Comentários: