Mil urnas apresentam defeito a 4 dias da eleição na Bahia

A quatro dias das eleições, cerca de mil urnas eletrônicas apresentaram defeitos, em pelo menos 10 municípios baianos, e precisaram de reparos, segundo informação do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA).

Equipes de técnicos foram acionadas para resolver os problemas nos equipamentos, todos do modelo 2008. Conforme o TRE, há 37.641 urnas no estado.

Um dos municípios baianos  com  urnas defeituosas foi São Francisco do Conde, na Região Metropolitana de Salvador, onde A TARDE flagrou ontem urnas passando por reparos, em uma sala no fórum eleitoral da cidade.

Informações

Irritado com a presença da reportagem, um homem que se identificou como o chefe do cartório eleitoral local não quis fornecer informações sobre o número de urnas defeituosas no município. Ele também se recusou a dizer o que havia ocorrido com os equipamentos.

Após alguns minutos, um funcionário do fórum ameaçou ligar para a delegacia. Nenhum dos presentes quis informar o número ou endereço do juiz eleitoral da cidade, Fábio de Oliveira Cordeiro.

Problema na bateria

O coordenador de Suporte e Voto Informatizado do TRE-BA, André Cavalcante, confirmou que cerca de mil urnas de um total de 7.904 máquinas do modelo 2008 apresentaram problema na bateria da placa-mãe, ocasianando um “travamento” no relógio interno desses equipamentos.

Como as máquinas são programadas para funcionar apenas no dia e na hora da eleição, ou seja, às 7h do dia 5 de outubro, o problema está sendo sanado para não comprometer o pleito.

Cavalcante informou que o problema foi detectado em urnas de algumas zonas eleitorais de Salvador e municípios da Região Metropolitana – como Candeias, São Francisco do Conde, São Sebastião do Passé, Camaçari, Dias D´Ávila -, além de Feira de Santana, Santo Amaro e cidades do   sul do estado, como Teixeira de Freitas e Prado.

Segundo o coordenador, após serem alimentadas com dados dos eleitores e dos candidatos, as urnas  são lacradas  e depois passam por uma conferência visual.  “Foi nesta etapa que detectamos o problema. Já estamos corrigindo e vamos concluir a revisão das urnas que ainda faltam trocar a bateria”, afirmou.

Fórum trancado

Ao voltar pela segunda vez ao fórum, atendendo a pedido do homem que se identificou como o chefe do cartório eleitoral – que prometeu falar após meia hora do primeiro encontro – A TARDE encontrou o local fechado, com correntes no portão. Ninguém atendeu aos chamados.

Já no cartório eleitoral, um funcionário de prenome Antônio disse que o chefe da 162ª Zona Eleitoral, Raimundo Fidelis da Silva, não poderia receber a reportagem.

Perguntado, o mesmo funcionário também não informou a quantidade de urnas com problemas e afirmou que qualquer questionamento deveria ser feito à assessoria de imprensa do TRE.

Votação

O coordenador de Suporte e Voto Informatizado do TRE-BA, André Cavalcante, afirmou que o problema detectado em cerca de mil urnas em pelo menos dez cidades baianas não causará nenhum problema para o pleito, que ocorrerá no próximo domingo.

“Este problema não terá nenhum impacto na eleição”, disse. Segundo ele, falhas desse tipo são ocorrências previstas. Cavalcante declarou que, até hoje, quando deverão ser lacradas  as 37.641 urnas eletrônicas que a Bahia vai utilizar nestas eleições, a falha será sanada.

O coordenador informou que a vida útil dos equipamentos é de 10 anos, portanto as urnas modelo 2008 ainda serão usadas nas duas próximas eleições, em 2016 e 2018. Este ano, será a última vez que as urnas modelo 2004 serão utilizadas.

De acordo com Cavalcante, a manutenção das urnas eletrônicas em todo o país é de responsabilidade da empresa Diebold, especializada em automação bancária e eleitoral, que foi contratada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Segurança da urna

Em entrevista ao A TARDE em abril deste ano, o professor assistente da Unicamp Diego Aranha, especialista em criptografia e segurança computacional, reafirmou que a urna eletrônica brasileira possui falhas.

Em 2012, ele coordenou uma equipe que burlou a segurança da urna e verificou que é possível identificar a ordem dos votos.

Na ocasião, ele também lamentou o fato de  o  TSE  decidir  não realizar testes públicos de segurança este ano. Segundo Aranha, esta seria a “única possibilidade que existia para se verificar a correção de problemas”. O TSE diz que o sistema  nunca registrou nenhuma fraude em 18 anos.

Fonte: Portal A Tarde


Compartilhe:

Comentários: