Ministério Público apura agressões a quilombolas do Rio dos Macacos

O Ministério Público Federal abriu inquérito ontem para investigar a violência sofrida pelos irmãos Edinei Messias dos Santos e Rosimeire Messias dos Santos, moradores do Quilombo Rio dos Macacos, localizado na região da Base Naval de Aratu. As vítimas disseram ter sido agredidas por militares da Marinha na tarde da última segunda-feira (6), ao saíram da comunidade para matricular as filhas de Rosimeire. Ao retornarem foram impedidos de entrar no Quilombo.

De acordo com Rosimeire, os militares bateram nela e ainda esfregaram o rosto da moradora no chão. Edinei também foi agredido. Os militares teriam colocado uma arma na boca dos irmãos, depois os levaram presos. De acordo com familiares das vítimas, eles foram liberados na noite de anteontem e prestaram queixa na Polícia Federal.

O procurador Regional dos Direitos do Cidadão substituto, Edson Abdon, que instaurou o inquérito, requereu ao comandante da Base Naval cópias da fita de segurança da portaria de acesso, local onde ocorreu o incidente entre os militares e os membros da comunidade, das fitas do circuito interno de TV onde as supostas vítimas foram detidas, para averiguar as agressões sofridas e o laudo de exame de corpo delito feito em um dos moradores. Pediu, também, infor-mações sobre o tempo que os irmãos Edinei e Rosimeire ficaram detidos no estabelecimento militar.

Em nota enviada à imprensa, o 2º comando do Distrito Naval informou que as detenções foram motivadas pelas ameaças feitas por Edinei contra as sentinelas de serviço e em razão do comportamento violento de Rosimeire, que tentou, inclusive, pegar a arma de um dos militares.

Fonte: Tribuna da Bahia


Compartilhe:

Comentários: