Mulher com mania de guardar celular no sutiã desenvolve câncer de mama terminal

Ela, que tem dois filhos e nenhum caso de câncer na família, conseguiu combater a primeira manifestação do câncer nos seios, mas a doença voltou

Wendy Holt, de 51 anos, desenvolveu câncer de mama e acredita que o hábito de manter seu telefone móvel em seu sutiã todos os dias por dez anos foi o que causou a doença terminal. Ela, que tem dois filhos e nenhum caso de câncer na família, conseguiu combater a primeira manifestação do câncer nos seios, mas a doença voltou no começo deste ano afetando seus pulmões e gânglios linfáticos. Por causa do câncer terminal, os médicos avisaram Wendy que é muito pouco provável que ela consiga chegar ao seu aniversário de 53 anos. “Obviamente não vou conseguir nunca provar a relação entre o celular e minha doença, até porque existe um grande debate a respeito dessa questão, mas eu acredito piamente que a radiação é a responsável pelo câncer. Comprei meu primeiro telefone por volta de 1990, e comecei a guardá-lo no sutiã, porque era prático e ninguém via. Ele ficava encostado na minha pele por provavelmente 70% do dia, ao longo de dez anos, e eu nunca pensei sobre isso. Quero desabafar para alertar as pessoas e fazer com que elas parem com isso”, disse ela ao Dailymail.

Wendy percebeu que algo estava errado em janeiro de 2012.  Ela conta que seu seio direito estava inchado e pesado, e que tinha a textura de uma casca de laranja. Quando buscou ajuda médica, ela recebeu o diagnóstico de câncer de mama inflamatório, uma forma agressiva da doença, normalmente detectada já em estado avançado.

Fonte: iBahia


Compartilhe:

Comentários: