Mulher descobre sonda perdida da Petrobras e petróleo jorra em Lobato

O petróleo continua saindo do poço perfurado na década de 30

O petróleo continua saindo do poço perfurado na década de 30

 

Uma sonda que pertence à Petrobras foi encontrada nessa segunda-feira (21/1) no Jardim Lobato, local onde pela primeira vez se encontrou petróleo no Brasil. A localização da sonda aconteceu quando a dona de casa Tereza Barbosa começou a preparar o terreno do quintal para aumentar a casa.

Provavelmente é uma das sete sondas que foram colocadas no final da década de 30, quando o petróleo começou a jorrar no Lobato. Técnicos da Petrobras já estiveram no local. Os moradores aproveitaram o achado para fazer uma manifestação com o objetivo de chamar a atenção para os problemas do bairro do subúrbio ferroviário.

Segundo a presidente da Cooperativa Múltipla do Bairro Ouro Negro, Adélia Lima, petróleo é sinônimo de riqueza no mundo, mas não em Lobato, bairro da periferia, esquecido pelas autoridades.

 


Foto: Romildo de Jesus

 

Nele, 1.500 moradores convivem com saneamento precário, desemprego, pobreza, falta de área de lazer entre outros problemas. No entanto, foi ali que se descobriu o primeiro poço de petróleo do país.

O local considerado o marco zero da descoberta de petróleo no Brasil – batizado em homenagem a Francisco Rodrigues Lobato, proprietário da fazenda onde foi descoberto o poço – tornou-se uma comunidade pobre, com taxa de criminalidade elevada.

 

Do papel que desempenhou no impulso à indústria petrolífera do país pouco restou em Lobato: uma réplica de um cavalo (equipamento usado para bombear petróleo), e uma placa de cimento onde ficava o primeiro poço e um painel da Petrobras que diz: “Aqui começou o sonho da autossuficiência”.

Segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo), ali ainda existem de 500 mil a 1 milhão de barris de petróleo. Os poços só voltarão a ser usados se a comunidade apresentar um projeto.

Para a líder comunitária Adélia Lima, “isso é coisa apenas para a Petrobras”. Segundo ela, o petróleo de Lobato deve continuar como “reserva para explorar no futuro. O abandono é evidente. O bairro pobre começou a se formar na década de 70, depois que a produção de petróleo foi interrompida”, considerou a líder.  

 

A primeira descoberta

A primeira jazida de petróleo foi descoberta no Brasil há exatos 74 anos, no dia 21 de janeiro de 1939, no bairro de Lobato, na periferia de Salvador (BA).

Mas em 1930 o engenheiro Manoel Inácio Bastos tomou conhecimento de que os moradores de Lobato usavam uma “lama preta”, oleosa, para iluminar suas residências. Realizou várias pesquisas e coletas de amostras da lama. Não obteve êxito em chamar a atenção de pessoas influentes e foi considerado “maníaco”.

Mas na década de 1930 a questão da nacionalização dos recursos do subsolo entrou na pauta das discussões. Em 1938, toda a atividade petrolífera passou, por lei, a ser obrigatoriamente realizada por brasileiros, sendo criado o Conselho Nacional do Petróleo (CNP), que avaliou pedidos de pesquisa e lavra de jazidas de petróleo.

Em 1938 foi iniciada, sob a jurisdição do récem-criado CNP, a perfuração do poço DNPM-163, em Lobato, e um ano depois atingiu-se camada petrolífera.

O poço, apesar de ter sido considerado antieconômico, foi fundamental para o desenvolvimento da atividade petrolífera na Bahia. A partir do resultado desse poço, houve uma grande concentração de esforços na Bacia do Recôncavo. Em 1941, é descoberta a primeira acumulação comercial de petróleo do País, no município de Candeias, na Bahia.

Fonte: Tribuna da Bahia


Compartilhe:

Comentários: