Pai de torcedor internado condena violência: ‘Que futebol seja só futebol’

Cidnei Silva deixou Curitiba para visitar o filho com fratura no crânio assim que soube da briga na Arena Joinville; estado de Willian Batista da Silva, de 19 anos, é estável

Pai do único torcedor ainda internado após a briga generalizada na Arena Joinville, Cidnei Silva condenou a violência nos estádios. Assim que soube do estado de Willian Batista da Silva, 19 anos, Cidnei saiu de Curitiba e viajou até a cidade localizada no Norte de Santa Catarina para visitar o filho internado no Hospital São José. Com fratura no crânio, o estado do jovem é estável, com os sinais vitais dentro da normalidade. A pedido da própria família, ele foi transferido por volta das 23h30 de domingo para o Centro Hospitalar da Unimed, também em Joinville. Ele está lúcido e não apresenta risco de morte, mas vai continuar em observação neurológica, ainda sem previsão de alta. Tomografia realizada nesta manhã mostrou que ele sofreu uma fratura de crânio.

 – Eu não aprovo, nunca fui de acordo com violência nenhuma em estádio. Espero que ele se recupere o mais breve possível e que a gente possa tirar uma lição disso aí. E que futebol seja só futebol, nada de violência – disse o pai em entrevista à RBS TV.

Os outros três torcedores que foram internados após ficarem feridos na briga generalizada durante a partida entre Atlético-PR e Vasco já receberam alta. A confusão começou aos 17 minutos do primeiro tempo, quando o clube paranaense já vencia o jogo por 1 a 0, gol de Paulo Baier. As imagens de violência e selvageria chocaram o país inteiro. Por conta da confusão, a partida ficou interrompida durante 1h15. Ao ser reiniciada, o Vasco chegou a empatar, mas acabou perdendo por 5 a 1. Com o resultado, o time de São Januário foi rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro, junto com o Fluminense.

confusão torcida Atlético-PR e Vasco jogo (Foto: Heuler Andrey / Agência Estado)

Willian Batista sofreu fratura craniana, mas estado desta segunda é estável (Foto: Heuler Andrey / Agência Estado)

Fonte: G1


Compartilhe:

Comentários: