Pais dormem em tubulações e redes por vagas em escolas públicas no AM

Locais de matrícula começaram a receber filas desde a manhã da terça (7).
Pais e alunos improvisaram locais para dormir e se abrigar da chuva.

As matrículas de novos alunos na rede pública de ensino para o ano letivo de 2014 começam nesta quarta-feira (8). Já na noite de terça-feira (7), dezenas de pais e, em alguns casos, os próprios estudantes aguardavam a abertura dos portões das escolas, em várias regiões de Manaus. Para enfrentar as várias horas de espera, eles improvisaram locais para dormir e se abrigar da chuva. Tubulações de concreto que estavam na rua, redes atadas a estações de ônibus e as próprias calçadas serviram de locais para os pais passarem a noite. As matrículas também podem ser feitas pelo site da Secretaria de Estado de Educação do Amazonas (Seduc).

Os responsáveis pelos estudantes afirmam que quem deixa para chegar ao local de matrícula somente no dia em que ela começa acaba ficando sem vaga, ou consegue a inscrição apenas em uma escola muito distante do bairro onde reside.

As donas de casa e primas Dina e Joice Arruda tentam matricular os filhos no ensino infantil e se revezam na fila, guardando o lugar uma da outra. Na noite de terça-feira, elas estavam prestes a completar 16h na fila, em frente a uma escola da Zona Norte da capital amazonense.

“Uma hora, enquanto ela fica aqui, eu vou em casa, que é aqui perto, e faço comida para nós. Outra hora, quem fica sou eu e ela vai tomar um banho ou algo do tipo. E, assim, a gente vai levando, até a hora em que os portões se abrem”, disse Dina ao G1.

Quem chega cedo, e consequentemente precisa esperar mais, usa a criatividade para ter um pouco de conforto ou passar o tempo. Há quem opte por um lanche com os companheiros de fila, ou até mesmo pelo bom e velho baralho.

Uma dona de casa, porém, arranjou um jeito mais inusitado de passar a noite. Jocivane Trindade, de 39 anos, que busca uma vaga para o filho no ensino infantil, armou uma rede em um ponto de ônibus em frente à escola onde tentará a vaga pela manhã desta quarta-feira, na Zona Norte de Manaus. No momento da entrevista ao G1, ela aguardava no local há quase 7 horas, e ainda passaria a noite por lá.

“Não trouxe a rede para dormir, até porque a gente tem que ficar de olho na fila. Mas já que a gente está esperando mesmo, por que não fazer isso com um pouco mais de conforto?”, questionou a dona de casa.

Tubulações

Em uma escola da Zona Leste da capital, pais de alunos planejavam se esconder em tubulações de concreto na rua, que passa por obras, no caso de chuva ou de sono.

“Pelo menos, temos essa vantagem aqui. Se chover, temos como nos proteger ao longo da noite”, diz a promotora de vendas Miriam Neves, de 32 anos, que busca uma vaga para a filha no ensino infantil.

De acordo com a dona de casa Márcia da Silva, de 27 anos, que buscava uma vaga para o filho no ensino infantil, as secretarias Municipal e Estadual de Educação (Semed e Seduc) orientaram os pais a não irem tão cedo para os locais de matrícula. Mas a experiência anterior com esse tipo de situação fez com que muitos acampassem em frente às escolas.

“Todo ano, eles dizem isso, mas quem chega em cima da hora não consegue vaga ou é jogado para um bairro muito distante de onde mora. Eu moro no Mutirão. Se jogarem meu filho para o Nova Cidade, ele não vai estudar, porque não tenho condições de pagar transporte todo dia”, disse a dona de casa Márcia da Silva.

Ao todo, 149.795 vagas serão oferecidas nas redes municipal e estadual de Manaus, segundo dados divulgados pelas secretarias de Educação.

Fonte: G1


Compartilhe:

Comentários: