País tem 77 municípios em situação de risco por causa dos casos de dengue

Fonte: Tribuna da Bahia

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha

Levantamento divulgado nesta terça-feira (27/11) pelo Ministério da Saúde indica que 77 municípios brasileiros estão em situação de risco para a dengue, incluindo uma capital, Porto Velho.

Nessas áreas, onde vivem mais de 5,7 milhões de pessoas, mais de 3,9% dos imóveis pesquisados apresentam larvas do mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti.

Além disso, 375 cidades estão em situação de alerta para a dengue (índice de infestação entre 1% e 3,9%), enquanto 787 registraram índices considerados satisfatórios (menores que 1%).

A pesquisa foi realizada em 1.239 municípios brasileiros. No ano passado, 800 prefeituras haviam participado do Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), feito pelo governo desde 2003.

Das 77 cidades em situação de risco para a dengue, 58 participaram da pesquisa pela primeira vez e dez mantêm a classificação desde o ano passado. Em 2011, 48 municípios foram identificados em situação de risco, 338 estavam em alerta e 414 apresentaram índice satisfatório.

No Nordeste, mais de 70% das larvas do mosquito se concentram em reservatórios de água. No Sudeste, mais da metade dos focos (59,2%) estão em depósitos domiciliares. No Sul e no Centro-Oeste, o problema maior é o lixo, enquanto no Norte há uma situação de equilíbrio entre o armazenamento de água e o lixo.

O secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, lembrou que, em dezembro, o verão começa oficialmente no país e que o período é considerado predominante para a circulação do vírus da dengue. “Contamos com a parceria importante de estados e municípios para que a gente tenha uma mobilização com antecedência para evitar epidemias no próximo verão”, disse.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, alertou que o LIRAa funciona como uma espécie de fotografia de momento e que a circulação da dengue deve aumentar em alguns municípios. “Teremos mais chuvas, o que é um ambiente mais provável para infestação do mosquito. Certamente teremos municípios com situação de epidemia”, disse. 

Casos graves diminuem

De janeiro a novembro deste ano, foram confirmados 3.774 casos de dengue em todo o país, contra 10.507 no mesmo período de 2011. Dados do Ministério da Saúde mostram que o número de casos graves da doença caiu 64% em relação ao ano passado.

O balanço epidemiológico indica que 23 dos 26 estados brasileiros, além do Distrito Federal, apresentaram reduções significativas de casos graves de dengue em 2012. O estado com maior queda é o Amazonas (-96%), seguido pelo Acre (-94%), por Roraima (-94%), pelo Paraná (-93%), por São Paulo (-83%), pelo Espírito Santo (-78%) e pelo Rio de Janeiro (-76%).

Em números absolutos, o Rio de Janeiro é o estado que apresentou maior redução, registrando 891 casos graves de janeiro a novembro deste ano, contra 3.783 no mesmo período do ano passado.

No acumulado do ano, foram confirmadas 247 mortes decorrentes da dengue, contra 481 no mesmo período de 2011, uma queda de de 49%. Ao todo, 15 estados e o Distrito Federal registraram redução nos óbitos pela doença, sendo que o Amapá, Santa Catarina, o Rio Grande do Sul e o Distrito Federal não apresentaram nenhuma morte em 2012.

Entre janeiro e setembro deste ano, foram registradas 44.569 internações por dengue no Sistema Único de Saúde (SUS), contra 72.091 no ano passado. De acordo com o ministério, houve economia de R$ 11,7 milhões para os cofres públicos.

O total de casos notificados da doença somou 565.510 de janeiro a novembro de 2012, ante 727.803 no mesmo período de 2011. A queda foi observada em 16 estados e no Distrito Federal. A maior redução ocorreu no Amazonas (-93%).

Oito estados concentram 76% dos casos notificados de dengue no período: Rio de Janeiro (179.518), Ceará (54.591), Bahia (48.653), Pernambuco (33.487), Mato Grosso (29.910), São Paulo (28.767), Rio Grande do Norte (27.230) e Alagoas (27.743).

Já os municípios com população acima de 100 mil habitantes que mais registraram casos da doença entre janeiro e novembro são o Rio de Janeiro (134.720), Fortaleza (39.187), Maceió (13.729), Natal (12.057), São Gonçalo (9.919), Recife (9.602), Cuiabá (8.751), Goiânia (8.693), Teresina (7.039) e Niterói (6.461).


Compartilhe:

Comentários: