Pane em sistema online do Fies afeta todo o país; aulas já começaram

A Bahia tem 131 mil estudantes atendidos pelo programa, e por aqui os problemas também foram sentidos

Estudantes de todo o Brasil têm enfrentado dificuldade para conseguir fazer a inscrição, ou pedir a renovação do financiamento, no Programa de Financiamento Estudantil (Fies).

A Bahia tem 131 mil estudantes atendidos pelo programa do governo federal, e por aqui os problemas também foram sentidos. O Ministério da Educação (MEC) informou que uma sobrecarga no sistema de inscrição pela internet tem dificultado a conclusão do processo de inscrição.

A estudante de Engenharia Civil Bruna Serrano, 21 anos, disse que desde o início de fevereiro tenta, sem conseguir, pedir a renovação do financiamento. Ela cursa o 7º semestre, na Universidade Salvador (Unifacs), e diz temer não concluir o curso, pois não tem como pagar a mensalidade de R$ 1.400.

“Se eu não conseguir renovar o meu contrato, vou ter que deixar o curso ou mudar para uma faculdade mais barata”, diz Bruna. Estudantes relatam que os problemas começaram no início de fevereiro. O prazo para pedir a renovação do financiamento, que deve ser feita a cada semestre, e também para aderir ao programa, vai até 30 de abril.

As inscrições começaram em 28 de janeiro e 23 de fevereiro, respectivamente. “Quando consigo entrar na página aparece uma mensagem pedindo que eu atualize meus dados pessoais. Quando concluo a atualização, recebo um e-mail para confirmar. Se tento abrir, a página de confirmação não vai, fica tudo branco”, reclama uma aluna do 3º semestre de Psicologia da Faculdade Social da Bahia (FSBA), que pediu para não ter o nome divulgado.

Em São Paulo, os estudantes da Faculdade Metropolitanas Unidas (FMU) madrugaram na fila da inscrição, na madrugada da quinta-feira (12).

 Garantia

O secretário executivo do MEC, Luiz Cláudio Costa, afirmou, ontem, que os estudantes que já possuem o financiamento terão garantida a renovação. “Todo estudante que já tem seu financiamento pelo Fies e que desejar renová-lo, terá seu aditamento garantido”, afirmou.

Em nota, o MEC informou que adotou providências para a melhoria do sistema e que, se necessário, os prazos podem ser estendidos. Os problemas no sistema de inscrição coincidem com os cortes nos gastos do governo federal para contornar a crise econômica e com mudanças no programa, que dificultou as regras de acesso.

Em janeiro e fevereiro deste ano, o governo federal diminuiu os gastos com o Fies em cerca de R$ 1 milhão, comparado com o mesmo período do ano passado. O gasto com o programa cresceu 13 vezes desde 2010, e, no ano passado, o Fies custou R$ 13,7 bilhões ao governo.

Este ano, as instituições de ensino também reclamam do limite de 6,4% imposto pelo MEC para o reajuste das mensalidades de cursos que recebem o financiamento. A Justiça Federal já derrubou esse limite em decisões concedidas em Rondônia, Alagoas e no Distrito Federal.

Inscrição

Para aderir ao sistema, o estudante precisa entrar no site do SisFies (http://sisfiesportal.mec.gov.br/), preencher seus dados pessoais e escolher a instituição e o curso desejados. Ainda na inscrição online, o candidato opta pela instituição bancária financiadora – Caixa Econômica Federal ou o Banco do Brasil.

O passo seguinte é a autenticação dos dados informados na inscrição, na instituição escolhida. Neste semestre, os estudantes estão enfrentando problemas ainda na primeira etapa do procedimento. Em nota, a assessoria do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão do MEC que administra o Fies, informou que ampliou o horário de atendimento da central telefônica, no 0800 616161, que funcionará também aos finais de semana.

O objetivo é ajudar os alunos a solucionar problemas durante a inscrição. Enquanto o problema no sistema não é resolvido, estudantes buscam nas próprias faculdades ajuda para não ficar no prejuízo. “Já fui na faculdade umas cinco vezes só para resolver isso, mas não adiantou. A orientação é sempre para continuar tentando ou esperar que a página volte ao normal”, conta Bruna.

Embora o MEC afirme que os contratos do Fies já firmados estejam garantidos, estudantes do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Faculdade de Ciência e Tecnologia da Bahia(FTC) estão recolhendo procurações de alunos  para entrar com uma ação na Justiça.

“Para nós que estudamos em faculdade particular, o Fies e o Prouni são uma garantia de que cursaremos uma graduação”, disse Marcelo Tourinho, presidente do DCE.

Fonte: iBahia


Compartilhe:

Comentários: