Papa Francisco faz apelo pela paz em sua mensagem no Domingo de Páscoa

O Papa usou seu pronunciamento “Urbi et Orbi” (“Para a Cidade e o Mundo”) para pedir por paz na África, Ásia, Oriente Médio e através do globo. 

Ele deu especial ênfase à “querida Síria “, dizendo: “Quanto sangue foi derramado! E quanto sofrimento a mais deve existir antes de que seja encontrada uma solução política?”

A Páscoa é a festividade mais importante no calendário cristão, e os peregrinos compareceram a igrejas em todo o mundo. No Iraque, católicos lotaram as igrejas em meio a um forte esquema de segurança. Cerca de 200 fiéis celebraram uma missa em Bagdá. Houve também especiais medidas de segurança no Paquistão.

O papa Francisco, anteriormente arcebispo Jorge Mario Bergoglio , de Buenos Aires, foi eleito em 13 de março, representando o primeiro pontífice não europeu em quase 1,3 mil anos. Ele sucedeu a Bento 16 , que permaneceu no cargo por oito anos e se tornou o primeiro papa a renunciar em quase 600 anos , com a justificativa de que não tinha mais a força física para continuar.

Em seu discurso “Urbi et Orbi”, Francisco começou com um simples “Feliz Páscoa”. O papa, que começou seu mandato enfatizando a humildade , prosseguiu: “Cristo ressuscitou! Que alegria é para mim anunciar sua mensagem… gostaria que ela chegasse a cada casa e a cada família, especialmente onde o sofrimento é maior, nos hospitais, nas prisões.”

Mais tarde em seu pronunciamento, o pontífice disse: “Pedimos a Jesus ressuscitado, que transforma a morte em vida, para transformar o ódio em amor, a vingança em perdão, a guerra em paz.”

Então, ele mencionou regiões problemáticas do mundo: “Paz para o Oriente Médio, e particularmente entre israelenses e palestinos, que lutam para encontrar o caminho do acordo e possam ter a vontade e a coragem de retomar negociações para encontrar o fim de um conflito que já dura há muito tempo .”

“Paz no Iraque, que cada ato de violência termine, e acima de tudo (apelo) pela querida Síria, por seu povo dilacerado pelo conflito e pelos muitos refugiados que esperam ajuda e conforto.”

Em relação à África, o papa referiu-se ao Mali , à Nigéria – “onde os ataques lamentavelmente continuam – à República Democrática do Congo e à República Centro-Africana . Ele acrescentou: “Paz na Ásia, acima de tudo na Península Coreana : que os desacordos sejam superados e cresça um renovado espírito da reconciliação.”

O papa Francisco concluiu dizendo: “Paz no mundo todo, ainda dividido pela ganância que busca o lucro fácil, ferido pelo egoísmo que ameaça a vida humana e a família, egoísmo que continua no tráfico humano, a mais extensa forma de escravidão no século 21.”

Nos dias que antecederam a Páscoa, o papa fez gestos para as mulheres e os muçulmanos. Durante a Missa da Quinta-Feira Santa, em um centro de detenção juvenil, e lavou e beijou os pés de 12 pessoas , incluindo duas mulheres e dois muçulmanos, e na procissão da Sexta-Feira da Paixão referiu-se “à amizade de nossos irmãos e irmãs muçulmanos” no Oriente Médio.

Fonte: Tribuna da Bahia


Compartilhe:

Comentários: