Procon alerta consumidores para terem cuidado na “Black Friday”

Faltam apenas 17 dias para o período de compras mais esperado no mundo, a Black Friday. No Brasil, a sexta-feira de compras com desconto ainda não tomou a mesma proporção de vendas dos Estados Unidos, país onde a ação surgiu. Comemorado sempre  uma semana após o Dia de Ação de Graças americano, este ano,  a sexta-feira cai no dia 28 de novembro.  Em Salvador, nem todas as lojas físicas prepararam promoções, mas os soteropolitanos como todos os anos, devem participar da ação de vendas através da compra em sites nacionais, que prometem desconto de até 70% em alguns itens.

De acordo com a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, até agora, 112 lojas já se inscreveram para participar da Black Friday, inclusive comprometendo-se a não maquiar preços e oferecer descontos reais no preço final. A expectativa é de que, até o final das inscrições, mais de 150 estabelecimentos confirmem a participação na ação  de vendas.  Para dar mais credibilidade ao dia de promoções e aos respectivos participantes, a câmara criou o programa Black Friday Legal, que  identifica com um selo as lojas que seguem boas práticas do comércio eletrônico.

Mesmo com a popularização do dia,  a camara-e.net dá dicas de como fazer negócio e aproveitar as promoções de forma segura. Entre elas estão pesquisar a reputação das lojas escolhidas, usar site que utilizem serviços de pagamento conhecidos, além de imprimir todos os passos da compra. Também é aconselhável consultar sites de comparações de preços, além de verificar se o item desejado está incluso na promoção. O computador onde será realizada a negociação deverá ter ainda programas de proteção de dados, como antivírus, antispyware e firewall.

O Procon-Bahia também está de olho nas ofertas, mas naquelas que tentarem lesar o consumidor. De acordo com o coordenador de fiscalização da entidade de defesa do consumidor, Almir Ribeiro, um monitoramento prévio já está sendo realizado em algumas lojas que estão anunciando ofertas para o dia. “ A priori, este monitoramento é feito apenas nos sites, onde a campanha da Black Friday é mais forte. Nós vamos comparar, após o final da promoção, se as ofertas anunciadas anteriormente  foram cumpridas no dia do evento”, afirmou.

Ele ressalta que compras realizadas foram de estabelecimentos físicos podem ser desfeitas, por lei, em até sete dias depois da assinatura do contrato ou no mesmo período após o recebimento do produto, caso não o item não esteja de acordo com o esperado na compra. “Também é importante que as pessoas saibam da existência de uma lei federal que garante algumas seguranças para o consumidor, entre elas, a presença de informações nos sites de venda, como o CNPF da empresa, endereço físico e nome empresarial”, alertou.

Optar por sites que contenham estas informações, na opinião dele, ajuda a assegurar que, caso haja algum problema posterior a compra, a identificação do estabelecimento e o cancelamento da negociação sejam feitas de forma mais rápida. Embora diga que a tendência de vendas online é de melhora na oferta dos serviços oferecidos, Almir assume que o negócio ainda é delicado, em relação a quantidade de fraudes. Qualquer denúncia de situações que desrespeitem o Código de Defesa do Consumidor pode ser formalizadas através denuncia. procon@ sjcdh.ba.gov.br, seja ela relacionada à Black Friday ou não.

Fonte: Tribuna da Bahia

Imagem: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: