Protesto engarrafa 15 km da BR-324

Um protesto contra o fechamento de acessos que ligavam o distrito de Menino Jesus ao viaduto da cidade de Candeias interditou, entre a manhã e início da tarde dessa terça-feira (3/9), durante cerca de 7 horas, as pistas dos dois sentidos da rodovia BR-324, na altura do km-594. Os manifestantes atearam fogo em pedaços de madeira e pneus.

A pista foi totalmente liberada por volta das 13h, porém, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), às 13h30 ainda havia 13 quilômetros de congestionamento na via. De acordo com a polícia, a lentidão chegou a 15 quilômetros quando todas as faixas estavam fechadas, o que ocorreu entre as 5h45 e as 12h30. Após este horário, os policiais e a ViaBahia – concessionária que administra a rodovia – fizeram o trabalho de limpeza na pista.

Os manifestantes chegaram ao local minutos antes das 6h e protestavam contra o fechamento de desvios que ligavam o povoado ao viaduto de Candeias, permitindo a passagem sem o pagamento do pedágio. Os desvios foram fechados na última segunda-feira pela prefeitura local e pela ViaBahia. Além disso, os moradores também pediam por melhorias na rodovia e no povoado, como por exemplo: segurança, urbanização e revitalização.

Uma das dificuldades encontradas para a negociação entre manifestantes e autoridades (Policiais Militar e Rodoviária Federal) foi a exigência de representantes da ViaBahia. A morosidade da comitiva da concessionária – que saiu de Simões Filho por volta das 11h30 – colaborou para a finalização tardia do manifesto.

Em contrapartida, a ViaBahia informou, por meio de nota, que fechou os desvios porque eles são irregulares e que é regra da concessionária fechar acessos construídos de forma irregular ou que a concessionária não tenha tomado posse depois da concessão do trecho da rodovia. A nota diz ainda que, após reunião entre as autoridades, os desvios permanecerão fechados para evitar a ocorrência de acidentes e não há a possibilidade de liberação deles.

A BR-324 é o principal acesso terrestre à capital baiana, além de interceptar centenas de cidades baianas e conectar o Estado a outras divisas. Conforme informações de uma emissora de TV de Feira de Santana, o manifesto provocou o cancelamento de 17 horários de ônibus que estavam previstos para deixar aquela cidade. Pelo menos 800 passageiros foram impedidos de deixar o município em razão do ato.

Uma ambulância, que tentava prestar socorros médicos a um paciente no meio da manhã, ficou impossibilitada de prosseguir pelo acostamento, pois três veículos obstruíam o caminho.

Em decorrência de um problema semelhante, ocorrido há mais de um mês – quando um homem morreu dentro de uma ambulância durante um congestionamento de seis horas, sem ao menos conseguir atendimento – o governo estadual acionou os ministérios públicos Estadual (MP-BA) e Federal (MPF) e Tribunal de Justiça.

A fim de pedir providências contra a obstrução das rodovias que cruzam o Estado e responsabilização dos líderes de protestos, o secretário de Infrestrutura do Estado e vice-governador Otto Alencar entregou, na tarde dessa terça-feira (3/9), um requerimento às instituições.

O gestor disse que será implantado um grupo de trabalho entre as entidades e a Secretaria de Segurança Pública para que sejam adotadas medidas contra os manifestos.

Ainda para o vice-governador, caso haja reclamações em relação às condições das rodovias ‘é só me encaminhar um ofício que eu vou tomar providências. Claro que não dá para fazer tudo de vez, mas será resolvido’.

Fonte: Tribuna da Bahia

Imagem: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: