Pulseira de elástico pode ter substância cancerígena

A Proteste enviou ofício ao Inmetro e à Anvisa pedido de fiscalização e retirada do mercado dos kits usados para fazer pulseiras e anéis conhecidos como loom band charms. Os adereços feitos de elástico viraram moda entre crianças e adolescentes em todo o mundo, inclusive no Brasil.

Segundo o departamento técnico da Proteste, as matérias-primas usadas na confecção das pulseiras, como elásticos e pingentes, podem conter ftalato, substância cancerígena.

A Proteste teve como referência a reportagem da rede britânica BBC, que mostrou testes do Birmingham Assay Office revelando percentual de 40% de ftalato nas pulseiras. O máximo permitido na União Europeia e no Brasil é 0,1%.

O ftalato é usado para deixar o elástico mais maleável. A contaminação pode ocorrer se as crianças colocarem o material na boca.

Fonte: Portal A Tarde


Compartilhe:

Comentários: