Quase metade das casas no Brasil não tem rede de esgoto

Quase 27 milhões de residências não têm o serviço. Mas quase 100% do País têm luz elétrica

Apesar da ascensão da classe C e do aumento do poder aquisitivo dos brasileiros, quase metade dos domicílios particulares brasileiros ainda carece de rede coletora de esgoto, de acordo com a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) 2012, divulgada nesta sexta-feira (27) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O Brasil tem cerca de 62,8 milhões de domicílios particulares permanentes — entre casas, indústrias, comércios etc. Deste total, segundo o IBGE, apenas 35,8 milhões têm esgoto, número que representa 57,1% do total. Já o restante, cerca de 27 milhões de endereços, não tem esgoto.

Apesar do número alarmante, houve um crescimento na participação das casas que dispunham dos serviços de esgoto entre 2011 e 2012. Houve um aumento de cresceu 2,1 pontos percentuais. Regionalmente, o IBGE destaca a Região Sul, onde a participação passou de 35,7% para 42,3% nesse período, e a Norte que se manteve estável em relação a 2011 (13%).

Por outro lado, o País tem muito a comemorar quanto a outros serviços, como a rede de abastecimento de água, que chegou a 85,4% do total de casas em 2012. Hoje, 53,6 milhões de domicílios têm água encanada. A Pnad destaca a evolução da Região Norte, com um aumento de 2,4 pontos percentuais na proporção de domicílios com rede geral de água em relação ao ano anterior (de 55,9% para 58,3%).

No caso da coleta de lixo, passou de 54,4 milhões para 55,8 milhões o número de domicílios brasileiros que têm o serviço. Agora, 88,8% do total de endereços fixos têm coleta de lixo — mesma participação apurada em 2011. Na Região Sudeste, a coleta de lixo beneficia a 96% das residências pesquisadas e na Centro-Oeste, a 91,3%. Nas Regiões Norte, Nordeste e Sul, esse serviço é ofertado a 77,3%, 76,6% e 93% dos domicílios, respectivamente.

Quanto à luz elétrica, 99,5% dos domicílios do País têm o serviço — eram 99,3% em 2011. Em números absolutos, 62,5 milhões de domicílios contam com o serviço, segundo o IBGE. Em 2004, 97,3% dos domicílios entrevistados dispunham do serviço de iluminação elétrica.

A Região Norte foi a que mais contribuiu para esse resultado, pois, em 2011, a parcela dos que tinham esse serviço era de 96,2% e, em 2012, passou para 97,3%. Nas Regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste, os percentuais de atendimento encontram-se muito próximos a 100%.

A telefonia fixa ou móvel está em nove em cada dez casas brasileiras. Entre 2011 para 2012, houve uma alta de 4,1%, ou seja, 2,2 milhões de endereços ganharam acesso a esse serviço no País. Em 2012, 91,2% dos domicílios pesquisados possuíam algum tipo de serviço de telefonia. O destaque foi a Região Norte, onde a proporção dos que tinham algum tipo de telefone aumentou 2,5 pontos percentuais em relação a 2011.

Metodologia da pesquisa

O trabalho de campo foi realizado entre os dias 23 e 29 de setembro de 2012, e foram pesquisadas 362.451 pessoas e 147.203 residências distribuídas por todos os Estados. A população residente considerada foi composta pelos moradores presentes e ausentes, ou seja, pelas pessoas que tinham a unidade domiciliar como local de residência habitual e, na data da entrevista, estavam presentes ou ausentes, temporariamente, por período não superior a 12 meses em relação àquela data.

O IBGE informou que ficaram fora da pesquisa as pessoas residentes em embaixadas, consulados e legações e, também, as pessoas institucionalizadas residentes em domicílios coletivos de estabelecimentos institucionais, tais como: os militares em caserna ou dependências de instalações militares; os presos em penitenciárias; os internos em escolas, orfanatos, asilos, hospitais etc; e os religiosos em conventos, mosteiros etc.

Fonte:: R7


Compartilhe:

Comentários: