Queda no preço da carne provoca deflação em Campo Grande

Índice em março foi calculado em -0,07%, segundo núcleo de pesquisa.
Apesar da alta do tomate (7,96%), redução nos preços da carne foi maior.

Preço da carne foi o que teve a maior queda após isenção de imposto na cesta básica. (Foto: Reprodução/TV Vanguarda)

Campo Grande registrou primeira deflação do ano, calculada em 0,07%, conforme o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) divulgado nesta quarta-feira (10), pelo Núcleo de Pesquisas Econômicas (Nepes) da Universidade Anhanguera-Uniderp. O percentual seria decorrente, principalmente, da queda de preços das carnes.

“A disparada dos preços de alguns hortifrútis, com destaques para o tomate e a cebola, não foi suficiente para impedir a queda da inflação”, avalia o coordenador do Núcleo, professor Celso Correia. 

Segundo a pesquisa, os produtos que mais aumentaram de preços neste grupo foram queijo-de-Minas (19,43%), beterraba (18,51%), cebola (17,72%), manga (17,23%) e tomate (7,96%). Outros itens do grupo tiveram quedas significativas, como chuchu (-1,88%), goiaba (-21,15%), limão (-20,96%) e batata (-13,75%).

Porém, no mesmo período, ocorreu redução de preço na maioria dos cortes de carne, como a alcatra (-7,44%), acém (-6,56%), patinho (-6,04%) e coxão mole (-5,74%). Sobre a carne suína, os três cortes pesquisados tiveram baixas de preços: bisteca (-6,40%), costeleta (-3,83%) e pernil (-1,68%).

Acumulado
A inflação acumulada nos últimos doze meses na cidade de Campo Grande está em 5,86%, ultrapassando o centro da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) que, para o ano de 2013, foi estabelecida em 4,5%.

Fonte: G1

 


Compartilhe:

Comentários: