Remédio descongestionante pode ser solução e a causa para entupimento

Se utilizado em excesso, medicamento provoca efeito rebote.
Ou seja, problema vai, mas volta em seguida.

A principal função do nosso nariz é aquecer, filtrar e umidificar o ar que vai para os pulmões. Sendo assim, é importante que a saúde desse órgão tão importante esteja perfeita para ele funcionar da melhor maneira. Os otorrinolaringologistas Marcelo Hueb e Francini Pádua vieram ao Bem Estar nesta quinta-feira (8) para explicar algumas questões relacionadas ao tema.

Quando respiramos pela boca, o ar chega frio e seco aos pulmões e isso pode provocar broncoespamos, bronquite e asma. Tal prática só é tolerada quando praticamos exercícios físicos e precisamos de uma maior quantidade de ar nos pulmões.

Respirar pela boca também pode trazer maiores prejuízos à saúde. Se alguém crescer com esse hábito, o céu da boca pode ficar mais ovalado, a função do maxilar pode ser prejudicada e os dentes podem entortar. Além disso, o sono pode ser afetado e, em crianças, problemas de sono afetam o crescimento. Nos adultos, noites mal dormidas podem resultar em falta de atenção, prejudicando, principalmente, seu desempenho na vida profissional.

Em casos de sangramento, fratura ou congestionamento nasal, o ideal é sempre buscar a ajuda de um médico, principalmente quando for necessário o uso de medicamentos. Em alguns casos, pode haver a necessidade da realização de cirurgias para correção de septo.

Remédios descongestionantes podem ser a solução para um descongestionamento – mas também podem ser a causa do problema. Se usado sem necessidade, ele provoca um efeito rebote. Ou seja, ele sana o problema, mas, o congestionamento retorna depois.

Uma dica para quem é viciado em remédios descongestionantes é pingá-lo em apenas uma das narinas durante aproximadamente 40 dias para acostumar o nariz a ‘esquecer’ da vontade de pingar o medicamento.

Fonte: G1 / Bem Estar


Compartilhe:

Comentários: