Risco de ser assaltado é grande para quem anda de ônibus em Salvador

Sair de casa e pegar um ônibus para determinado destinado tornou-se uma ação de risco para alguns soteropolitanos. De acordo com dados disponibilizados no site da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP), de janeiro a setembro deste ano, foram registrados 1.126 assaltos a ônibus em Salvador, o que representa uma média de 125,11 por mês e cerca de quatro ocorrências por dia.

O caso mais recente ocorreu na última quarta-feira quando uma pessoa morreu e quatro ficaram feridas durante uma tentativa de assalto a um ônibus da empresa Expresso Vitória, que fazia a linha Vale dos Lagos/Lapa.

De acordo com informações da polícia, nas imediações da Madeireira Brotas, por volta das 18h40, um homem anunciou o assalto aos passageiros. Enquanto realizava o saque, um passageiro anônimo reagiu e atirou contra o assaltante Josemário Santos Nascimentos, 28 anos. Na troca de tiros, ficaram feridos o motorista Jorge Jesus Damasceno, 38, o policial militar Claudemir Lima de Almeida, Joelson Virgens da Silva, 32, e José Lucas da Silva, 34. O assaltante morreu.

De acordo com o boletim da Superintendência de Telecomunicações da SSP (Stelecom), no mesmo dia, outros quatro ônibus foram assaltados, sendo três na localidade de Boiadeiro, Subúrbio Ferroviário, em um espaço de uma hora. Às 18h30, um ônibus da empresa Praia Grande foi assaltado e R$ 60 foram levados pelos bandidos. Às 19 horas, outra ocorrência foi registrada no local, e a última às 19h30. Ambos veículos pertencem à empresa Boa Viagem. O quarto assalto ocorreu na orla da cidade, nas imediações de Placafor.

Morador de Vilas do Atlântico, o estudante do curso de publicidade Luís Carlos Tosta, 25, também foi vítima de um assalto a ônibus, seguido de agressão física. “Peguei o ônibus de seis horas para chegar às 07h15 no estágio (Pituba). Quando chegou perto da Pituba, dois homens entraram no ônibus e um deles foi logo para o fundo enquanto o outro anunciou o assalto. Tomaram os celulares de todos os passageiros, inclusive o meu. Como demorei de tirar da mochila, ainda levei um tapa no peito. Hoje em dia, entro no ônibus já assustado e prestando atenção em todos ao meu redor”, contou.

Bairros

Das ocorrências contabilizadas pela SSP, a Área Integrada de Segurança Pública da Risp Atlântico é a de maior concentração de assaltos a coletivos. Entre os bairros da área estão: Brotas, Rio Vermelho, Boca do Rio, Itapuã, Barra, Nordeste e Pituba. “Geralmente estes bairros têm muitas rotas de fuga, o que facilita a ocorrência de crimes. Moro na Pituba há 15 anos e garanto que os assaltos aqui são constantes”, disse a jornalista Ana Clara Gomes, 33.

Na tarde de ontem, a Tribuna tentou contato com o coordenador e o titular da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Coletivos (GERC), mas ambos não foram encontrados na unidade policial.

Fonte: Tribuna da Bahia


Compartilhe:

Comentários: