Saiba o que fazer em caso de queimaduras nas festas juninas

O número de atendimentos de pessoas com queimaduras em todo o país no mês de junho mais do que dobra em relação a outros meses do ano devido às festas juninas.

Entre as causas mais comuns estão o preparo de refeições típicas, o que favorece o aumento do número de queimaduras por alimentos quentes, a utilização ou manipulação de substâncias inflamáveis com objetivo de produzir chama para acender fogueiras e a manipulação excessiva de fogos de artifícios.

Os dados são da Sociedade Brasileira de Queimaduras – SBQ.

A maior incidência de queimaduras na faixa etária dos 7 aos 12 anos, envolvendo alguns casos graves que chegam a levar a lesões traumáticas como amputações e perda da função das mãos, devido ao manuseio de alguns tipos de explosivos.

Em 15 anos atuando na área da saúde, o enfermeiro Antônio Rangel já acompanhou diversos casos de queimaduras durante esta época do ano. E a maioria das pessoas que sofre as lesões, ainda se confunde em como agir em cada caso.

Segundo o enfermeiro, assim que o acidente ocorre e se a queimadura for de 1º ou 2º grau, aquelas mais superficiais que deixam a pele vermelha e dolorida ou com formação de bolhas, é indicado colocar a parte atingida debaixo de água corrente fria por aproximadamente dez minutos ou fazer compressas úmidas e frias.

“A água, além de resfriar a região, acaba produzindo um efeito de hidratação ao local. Em hipótese alguma usar pasta de dente ou manteiga, por exemplo. As queimaduras de 3º grau, aquelas mais profundas que atingem todas as camadas da pele e pode atingir também o tecido sub-cutâneo, músculos, ou tendões, devem ser imediatamente levadas para atendimento de saúde emergencial”, recomenda Rangel.

O enfermeiro também destaca que o tratamento depende de cada caso. Para as lesões de 1º e 2º grau, a utilização de pomadas e cremes específicos é uma das indicações mais comuns, explica, acrescentando que procurar orientação médica é a recomendação mais importante, pois o tratamento adequado pode ajudar a acelerar a regeneração da pele e minimizar as consequências, deixando cicatrizes menos aparentes.

Gelo dificulta avaliação

Na Bahia, é na época das festas juninas que mais pessoas procuram as emergências de unidades de saúde especializadas em queimaduras, principalmente em regiões que realizam tradicionalmente as chamadas “guerras de espadas”, conforme afirma o cirurgião plástico do Hospital São Rafael, Marcus Vinícius Moscozo.

Recursos como colocar manteiga e gelo no local, podem dar a sensação de alívio, mas dificultam a avaliação médica e podem agravar a lesão, disse o médico.

A primeira medida a ser adotada, segundo o especialista, é afastar a vítima da fonte de calor, envolvê-la em panos limpos e encaminhá-la o quanto antes à uma unidade de saúde especializada. “O Hospital São Rafael, por exemplo, é uma das poucas unidades de saúde privada referência para o atendimento aos queimados”, afirma Moscozo.

Cuidados para evitar queimaduras no São João

— compre os fogos de artifício somente em lojas credenciadas

— não solte fogos perto de árvores ou fiações elétricas

— não dê fogos de artifício para crianças ou pessoas alcoolizadas

— solte os fogos de artifício em locais abertos, em áreas amplas e sem vegetação por perto

— siga corretamente as instruções de uso impressas nas caixas dos fogos de artifício

— nunca aponte os fogos na direção das pessoas

— observe se não existem materiais combustíveis nas proximidades

— evite saltar as fogueiras

— tome cuidado ao acender as fogueiras

Fonte: Tribuna da Bahia


Compartilhe:

Comentários: