Salvador: médicos municipais começam greve nesta terça-feira (4)

A categoria questiona baixos salários, atrasos nos pagamentos, além da insegurança e falta de infraestrutura nos postos de saúde

Os médicos ligados à Prefeitura de Salvador decidiram suspender as atividades por tempo indeterminado a partir desta terça-feira (4). Após assembleia da categoria realizada no último dia 28 ficou decidido que todas as unidades do município estarão fechadas, inclusive os Postos de Saúde da Família (PSF) e Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

O Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindimed) tem recebido denúncias frequentes com relação ao descaso e os médicos afirmam que essa situação pode levar a demissão coletiva. Segundo Francisco Magalhães, presidente do Sindimed, a decisão de entrar em greve foi confirmada nesta segunda-feira (3). “Tivemos uma reunião hoje e não apresentaram nada, disseram que vão apresentar uma proposta com índice de aumento para todo funcionalismo do município. Em relação aos médicos não tiveram nenhum tipo de acerto”, diz.

A categoria questiona baixos salários, atrasos nos pagamentos, além da insegurança e falta de infraestrutura nos postos de saúde. Recentemente os plantonistas que trabalham na UPA Subúrbio (Lad. Terezinha) foram surpreendidos com a redução dos salários. A instituição que terceiriza a UPA (Iest – Faculdade Dom Pedro) alega que não tem como arcar com as remunerações.

Os médicos reivindicam reajuste salarial de 20% para os servidores ativos, inativos, pensionistas e de empresas públicas, reajuste de 200% na gratificação, incorporação da gratificação ao salário, pagamento de insalubridade e periculosidade retroativos, ajuste de carga horária para 24h, melhoria das condições de trabalho e segurança no ambiente de trabalho.

Samu
Sobre os médicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), em greve há mais de dez dias, Francisco explica que aconteceu uma reunião na manhã desta terça na sede do Ministério Público do Estado da Bahia. Estiveram presentes, além de dirigentes do Sindimed, o secretário de Saúde José Antônio Rodrigues Alves e o secretário de Gestão Alexandre Pauperio. A promotora de Justiça Maria Pillar mediou a audiência.

“Ficaram de apresentar até amanhã à tarde uma proposta para os médicos do Samu, para ver se sai desse impasse”.

A diretora do Sindimed Débora Angeli, fez uma nova proposta de aumentar a gratificação em 150% sobre o salário-base da categoria de imediato, sugerindo ainda que seja realizada uma negociação de gratificação escalonada através de PCCV a ser discutido coma a categoria, inclusive mediante realizações de concursos públicos. O secretário Pauperio informou que será analisada essa posição e a prefeitura dará resposta nesta terça.

Fonte: Correio da Bahia

Imagem: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: