Sequestrador de Cleveland se matou na prisão, dizem autoridades

Ariel Castro, de 53 anos, foi encontrado enforcado em Ohio.
Ele pegou perpétua após manter 3 mulheres reféns durante 10 anos.

Ariel Castro, que manteve três mulheres em cativeiro por mais de uma década, em Cleveland, EUA, foi condenado à prisão perpétua. (Foto: Arquivo / Aaron Josefczyk / AP Photo)

O homem de Cleveland condenado à prisão perpétua pelo sequestro, pelo estupro e pela tortura de três mulheres por mais de 10 anos foi encontrado morto em sua cela na prisão ao sul de Ohio, nos Estados Unidos, nesta terça-feira (3), informou a porta-voz do Departamento Estadual de Reabilitação e Correção, JoEllen Smith.

Ele cometeu suicídio por enforcamento, segundo ela, que não especificou que material foi usado.

Os médicos legistas ainda devem examinar o corpo, informou a porta-voz, acrescentando que mais detalhes serão divulgados nas próximas horas.

Ariel Castro, um ex-motorista de ônibus escolar de 53 anos, estava isolado dos demais detentos no presídio de Ohio.

Segundo funcionários da prisão, uma ronda encontrou o sequestador enforcado por volta das 21h30 (horário local).

Castro foi transferido para um hospital da região e declarado morto cerca de 90 minutos mais tarde, segundo a porta-voz.

De acordo com um porta-voz da instituição à época da prisão, Castro ficava em uma cela 23 horas por dia, com uma hora de recreação , embora também isolado dos demais.

Ariel Castro foi condenado à prisão perpétua, sem direito a liberdade condicional, no dia 1º de agosto.

Ele foi condenado pelos crimes de sequestro das três mulheres, estupro e também por homicídio agravado – por ter forçado uma delas a abortar.

Antes de a sentença ser anunciada, Castro disse não ser o monstro que a promotoria o acusou de ser, afirmou ser um homem doente e disse não ter desculpas para seu comportamento, que classificou como “errado”.

Ele se declarou culpado para evitar a pena de morte.

O chocante caso veio à tona depois que Amanda Berry, de 27 anos, conseguiu escapar do cativeiro com sua filha de 6 anos ao chamar a atenção de um vizinho no dia 6 de maio.

Durante anos, as três mulheres foram mantidas acorrentadas pelos tornozelos dentro da casa de Castro, em um bairro de Cleveland. A casa acabaria destruída.

Sequestradas em incidentes separados aos 20, 16 e 14 anos, as mulheres sofreram espancamentos violentos e estupros frequentes.

Michelle Knight, de 32 anos, engravidou quatro vezes durante seus 11 anos de cativeiro. Castro forçou seus abortos proibindo-a de comer e espancando sua barriga.

Já Berry foi autorizada a levar adiante uma gravidez, dando à luz uma menina em uma piscina de plástico no Natal de 2006.

Gina DeJesus, por sua vez, uma amiga da filha de Castro, tinha apenas 14 anos quando foi sequestrada.

Fonte: G1


Compartilhe:

Comentários: