Suspeito de dirigir embriagado no DF e matar mãe e filha é solto após fiança

Família pagou R$ 30 mil na segunda; acidente aconteceu no Dia das Mães.
Homem tinha habilitação vencida e foi indiciado por duplo homicídio doloso.

Carro que foi atingido por outro veículo junto ao viaduto do Metrô, no Park Way, no Distrito Federal, que deixou mãe e filha mortas neste domingo (11) (Foto: TV Globo/Reprodução)

Suspeito de dirigir embriagado e provocar o acidente que terminou com a morte de mãe e filha no Dia das Mães, Rafael Yanovich foi solto do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, na madrugada desta terça-feira (20). Ele deixou o presídio depois de a família pagar fiança de R$ 30 mil – estipulada pelo juiz Marcos Guimarães Silva na última semana. De acordo com a Polícia Civil, ele estava com a habilitação vencida quando ocorreu a batida.

O acidente ocorreu por volta da 1h, na quadra 5 do Park Way, junto ao viaduto do Metrô de Águas Claras. A jornalista Alessandra Tibau Trino Oliveira, de 33 anos, morreu na hora. A filha dela, Júlia Trino, de 1 ano e 8 meses, chegou a ser socorrida. O marido da mulher e pai da criança, Gabriel Faria Oliveira, e um passageiro do veículo que causou o acidente, identificado como Leandro Yanovich Adão, de 34 anos, também se feriram no acidente.

Ainda segundo a polícia, Yanovich fez o teste do bafômetro, que indicou uma taxa de 0,5 miligrama de álcool por ar expelido – é considerado crime de embriaguez ao volante um índice igual ou superior a 0,33 miligrama por litro de ar. A corporação também disse que ele estava a mais de 100 km por hora – o limite da via é de 60 km por hora.

Advogado do suspeito, Eric Pio Belo disse que ele realmente havia ingerido bebida alcoólica, mas não estava embriagado. Ele também afirmou que não há laudo comprovando o excesso de velocidade e criticou a sinalização e a visibilidade no trecho em que houve a colisão.

Veículo que, segundo a polícia, causou o acidente (Foto: Reprodução/TV Globo)“Ele [Yvanovich] estava com a carteira vencida, infração administrativa, mas isso não seria a causa determinante do acidente. Ainda precisa sair o laudo para saber se estava em velocidade superior ou se havia má sinalização ou problema de visibilidade na via”, afirma Belo.

O homem foi indiciado por embriaguez ao volante, lesão corporal, dirigir sem habilitação e por duplo homicídio doloso (quando há intenção de matar). O advogado dele, Eric Pio Belo, disse que

Fiança
O juiz João Marcos Guimarães Silva estipulou o valor da fiança com base no argumento da defesa, de que ele tem bons antecedentes, residência física e ainda não há laudo apontando as causas do acidente.

Cunhada da jornalista e tia de Júlia, Ludmila Gomes discordou da decisão. Para ela, os R$ 30 mil reais estipulados como fiança são o preço da impunidade.

Fonte: G1


Compartilhe:

Comentários: