Taxa de desemprego cresce de 17,3% para 18,6% na região metropolitana

Pesquisa de Emprego e Desemprego foi apresentada nesta quarta-feira.
Cerca de 347 mil pessoas estavam desempregados na região em fevereiro.

A taxa de desemprego total da Região Metropolitana de Salvador aumentou de 17,3% para 18,6% entre janeiro e fevereiro deste ano, na Região Metropolitana de Salvador, de acordo com dados da Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos (Dieese), divulgados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) nesta quarta-feira (24).

Os números foram obtidos na Pesquisa de Emprego e Desemprego da Região Metropolitana de Salvador (PED-RMS). Em fevereiro, os dados mostram que cerca de 347 mil pessoas estavam desempregadas na região, 22 mil a mais do que no mês anterior.

Segundo a SEI, foram eliminados 38 mil postos de trabalho no período. A pesquisa aponta que o setor de “comércio e de reparação de veículos automotores e motocicletas” foi o único com desempenho positivo, de 2%. Nos setores de serviços, construção e indústria de transformação, as quedas foram de 4%, 3,4% e 0,7% respectivamente.

Houve redução no número de trabalhadores assalariados em relação ao mês de janeiro, em cerca de 3,2%. Também foi apontado queda no setor público, de 7,1%, e no setor privado, de 2,3%.

Do mesmo modo, o número de trabalhadores com carteira assinada reduziu em cerca de 15 mil, correspondente a 1,9%, e em seis mil, cerca de 5%, de profissionais sem carteira assinada.

De acordo com a SEI, em janeiro, o rendimento médio foi estável, com queda de 0,1% para os ocupados e -0,5% para os assalariados, ficando em cerca de R$ 1.100 e R$ 1.195.

Últimos 12 meses
A taxa de desemprego também aumentou de 15,8% para os atuais 18,6% em relação ao mês de fevereiro de 2012.

Houve aumento no número de desempregados em 64 mil pessoas. Isso é explicado, segundo a SEI, pela elevação no número de postos de trabalho em 12 mil, quantidade que foi inferior ao acréscimo da População Economicamente Ativa (PEA), que foi de 76 mil.

Em relação aos setores, a ocupação aumentou no” comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas” em 16 mil, na indústria de transformação em 9 mil, mas diminuiu na construção em 11 mil. O setor de serviço manteve a estabilidade.

Fonte: G1

Imagem: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: