Técnico em radiologia perdeu 45kg e usa corrida como estímulo

Há seis anos, Luciano Dias pesava 129 kg. Hoje, em forma, se prepara para disputar uma maratona

Aos 36 anos, Luciano Dias exibe com orgulho seus 84 kg nas ruas da Barra. Enquanto desfruta alguns dos principais cartões postais da cidade, mantém a saúde em dia e um bom relacionamento com a balança. Encarar a principal rival dos gordinhos nem sempre foi fácil assim. Há seis anos, o técnico em radiologia pesava 129 kg. Hoje, em forma, se prepara para disputar uma maratona.
 
Os 42 quilômetros de pista serão encarados apenas em setembro. Antes disso, ele vai passar por um teste. No dia 21 de julho, Luciano vai correr os 21 quilômetros da 3ª Meia Maratona Caixa da Bahia. “Estou empolgado e vou fazer a prova pra pegar estímulo para a maratona. Quero fazer em menos de duas horas”, traça a meta.

Luciano escolheu o trajeto mais longo, mas a competição também tem provas de 5 e 10 quilômetros. A inscrição custa R$ 80 e pode ser feita no site meiamaratonadabahia.com.br.
 
Na infância e na adolescência, Luciano sempre teve uns quilinhos extras, mas os esportes que praticava para se divertir, a exemplo de vôlei e futebol, não deixavam ele engordar tanto. Quando começou a trabalhar, caiu no sedentarismo e passou a ganhar peso gradativamente. “Eu até tentava entrar na academia, mas tinha três empregos e nunca me encaixava nos horários. Tentava fazer dieta e sempre tomava essas fórmulas doidas, mas sempre engordava de novo”, conta.
 
Como consequência do sobrepeso, Luciano tinha refluxo, pressão alta, dor nas costas e nos joelhos, não dormia bem, além de ter dificuldade para fazer esforços pequenos e limitações no trabalho. Em 2007, já com 129 kg, decidiu se submeter a uma cirurgia bariátrica, que reduz o tamanho do estômago. “Depois da cirurgia fui para 82 kg, mas não me engajei em nenhuma atividade física e voltei a engordar, mas decidi não me pesar mais”, lembra.
 
Luciano só voltou a encarar a balança em 2011. Quando o ponteiro parou no número 90, ele quase caiu pra trás. Já tinha engordado oito quilos após a cirurgia. “Aquilo me chocou porque eu tinha prometido pra mim mesmo que não voltaria a ter 90 kg nunca mais. Aí paguei três meses antecipado de academia, mas não consegui ir nem uma semana”.
 
A saúde dele só encontrou um rumo certo na pista. Foi a corrida de rua que fez Luciano ganhar disciplina e manter o peso. “Em 2011 mesmo, parei em uma banca de revista e li: vire um corredor em oito semanas. Comprei, tinha uma planilha, fui seguindo e tomei gosto”. Inclusive, participou da primeira edição da Meia Maratona Caixa da Bahia naquele ano. De lá pra cá, não deixou de correr mais.
 
Após duas contusões e alguns equívocos nos treinamentos, Luciano entrou em um clube de corrida. Sob orientação de profissionais, ele treina seis vezes por semana. “Antes eu ficava dolorido. Agora não sinto mais dor. A assessoria faz toda a diferença”, recomenda. “A gente perde uma hora em engarrafamento. Não pode perder uma hora e meia pra você mesmo?”. Fica a dica.

Fonte: Correio da Bahia

 

 


Compartilhe:

Comentários: