Usuários reclamam contra cobrança da taxa de ar-condicionado pelos taxistas

Imagine você que ao tomar um táxi além de pagar o valor da corrida caso deseje usufruir do ar-condicionado tenha que desembolsar 20% em cima do valor cobrado no taxímetro.

Em uma cidade como Salvador, que no verão o calor chega a 40 graus, baianos e turistas estão indignados ao serem surpreendidos com a cobrança por parte de alguns taxistas. Para muitos passageiros, a cobrança é abusiva já que o ar-condicionado é essencial.

Existe uma portaria da prefeitura autorizando a cobrança, como informou representantes da Getaxi, sendo que a Tribuna entrou em contato com a Superintendência de Trânsito e Transporte de Salvador (Transalvador) para saber detalhes não obtendo resposta.

A taxa pelo uso do equipamento para táxis comuns existe há cerca de sete anos, mas a maioria dos taxistas não realiza a cobrança. Os taxistas que cobram pelo serviço geralmente trazem no para-brisa ao lado direito um adesivo informando sobre o serviço, assinado pela Transalvador e Setin.

Para a dona de casa Janice Santos, 43 anos, a cobrança de 20% é absurda. “Salvador é uma cidade calorenta, não tem como andar dentro de um carro sem ar-condicionado. Sem contar que, por conta dos congestionamentos, pagamos caro pela corrida. Já viajei para várias cidades brasileiras, em nenhuma delas cobram taxas pelo ar-condicionado”, desabafou.

A pedagoga Amanda Morocci ficou surpresa quando soube da cobrança. “Isso é um absurdo! Já pagamos caro pela corrida, ainda temos que pagar pelo ar-condicionado”, ressaltou.

A cobrança da taxa divide a opinião dos taxistas, já que muitos consideram que o ar- condicionado é um meio de agradar os passageiros. “Acho desnecessária essa cobrança. Trabalho como taxista há 10 anos e nunca cobrei a taxa. Ligo o ar para agradar os meus clientes. É um benefício que torna mais prazerosa a viagem do passageiro”, ressaltou Valdir Souza, 39 anos.

O taxista Mario Aparecido Gomes, 43 anos, afirmou que cobra a taxa por conta do prejuízo. Segundo ele, quando o ar-condicionado é ligado, gera um custo de 20 a 25 % a mais no gasto do combustível. “Quando um passageiro exige o ar, eu cobro. Só não exijo o valor quando o cliente já entra em meu veículo e encontra o ar ligado. Se é um direito nosso temos de exigir”, argumentou.

De acordo com Genival Batista de Melo, chefe do setor de fiscalização da Getaxi, Salvador possui uma frota de 7.272 táxis, sendo que desse total, 6.996 são comuns e 276 especiais. Ainda de acordo com Melo, apenas os veículos que trabalham com o taxímetro têm autorização para cobrar a taxa do ar-condicionado.

Ele informou que, para exigir o valor, é necessário que o taxista informe ao passageiro antes dele entrar no veículo sobre a tarifa. Caso o ar-condicionado já esteja ligado, o motorista não deve cobrar ao passageiro. 

Fonte: Tribuna da Bahia

Foto: Ilustração


Compartilhe:

Comentários: