Usuários reclamam do reajuste de pedágio e contra serviços prestados

Os usuários não se conformam com os reajustesNo primeiro dia do reajuste das tarifas cobradas pela concessionária Bahia Norte para administração das vias do sistema na BA-093, o clima na praça da Via Parafuso era de inconformismo e reclamação. A demora para a realização do pagamento foi responsável por filas nas praças, o que fez muitos motoristas perderem a paciência e apelarem para xingamentos e buzinas. Na manhã dessa segunda-feira (29/4) (29), o aumento da tarifa unido a falta de celeridade nas cabines e a reclamações sobre os serviços prestados pela concessionária esquentaram os ânimos dos usuários, que se dizem inconformados com a obrigatoriedade do pagamento da taxa.

E o caso do comerciante Gerson Carvalho, que diz ter tido prejuízos com dois pneus e a suspensão do veículo, após cair em um buraco na via administrada pela concessionária. Revoltado, ele cobrava do responsável pela supervisão das praças o conserto do asfalto, responsável pelo prejuízo de cerca de R$ 1 mil gastos por ele em reparos mecânicos. “Isso foi semana passada e eu não fui o único a cair e ter prejuízo com este buraco. No mesmo dia, eu vi mais de trinta carros pararem no mesmo lugar por conta do problema”, relatou o motorista, indignado com a lentidão da concessionária em solucionar o problema.

Morador de Simões Filho, Gerson diz que constantemente precisa passar pela via pedagiada e está insatisfeito com os serviços. “No dia do acidente, o guincho demorou mais de três horas para chegar, ainda perdi meu celular que, na confusão caiu no chão e quebrou”, lembrou. Ele questiona o aumento das tarifas cobradas pela concessionária, diante do serviço prestado, que segundo ele, é precário.

Ao pesquisar opinião dos usuários na manhã dessa segunda-feira (29/4), a equipe da Tribuna flagrou o comerciante, que exigia da administração do pátio um posicionamento da empresa em relação ao pagamento dos prejuízos causados pela má conservação da via.

Ele foi orientado a entrar em contato com a ouvidoria da empresa para registro da reclamação, mas Gerson afirma que vai cobrar da empresa judicialmente. “Não adianta ligar para a ouvidoria, porque é sempre a mesma conversa mole. Vou ter que entrar com um recurso judicial para reaver meu dinheiro”, adiantou.

A Bahia Norte informou, por via da assessoria de comunicação, que os casos de danos causados por problemas nas rodovias devem ser comunicados através da ouvidoria da empresa, que atende pelo número 3023-6342. Ainda segundo informações da empresa, caso seja constatado que o problema do veículo tenha sido causado por irregularidades na rodovia, a Bahia Norte faz o ressarcimento com os valores gastos pelo motorista.

Reajustes são anuais e previstos

 Embora assuma nunca ter tido problemas com a prestação de serviços da Bahia Norte, o também comerciante Jorge Santos também é contra a cobrança de pedágio na região. “Não tenho do que reclamar, mas também não posso achar justo ter que pagar mais esta taxa. O governo diz que a gente paga o licenciamento e IPVA para cobrir as despesas com as rodovias e depois privatizam as estradas. Não dá para entender”, reclama.

Sobre as queixas em relação ao aumento das tarifas, a Bahia Norte informou que os reajustes anuais são previstos no contrato de concessão, calculado com base no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Em relação ao buraco na via, a empresa atribuiu o problema ao período de chuvas e a dificuldade em realizar a manutenção no asfalto no molhado. Segundo a Bahia Norte, um inspetor já foi enviado ao local para tentar solucionar o problema. 

Fonte: Tribuna da Bahia


Compartilhe:

Comentários: