Veja como limpar celulares e garrafas de água para evitar fungo e bactérias

Bem Estar desta quinta-feira (6) alertou para riscos da sujeira escondida.
Falta de higiene pode favorecer contaminações e até certas infecções.

Quando chega o fim do dia, é possível ver toda a sujeira acumulada no sapato ou na roupa, por exemplo. Mas existe também uma sujeira – não tão visível – em outros objetos que levamos para todos os lugares ao longo do dia, como os celulares ou garrafinhas de água. No Bem Estar desta quinta-feira (6), o infectologista Caio Rosenthal e a microbiologista Maria Teresa Destro explicaram quais os riscos disso para a saúde e deram dicas de como limpar esses produtos.

Em um teste feito em laboratório pelo Bem Estar, foi constatado em alguns celulares a presença de bactérias, como as de origem intestinal, os coliformes fecais e as bacillus cereus, que podem dar intoxicação alimentar.

Segundo o farmacêuto e especialista em microbiologia Laercio Goularte, é importante lembrar que o celular não oferece a condição ideal para que os fungos e bactérias se multipliquem, o que significa que ele é apenas o veículo desses micro-organismos. Já no caso das garrafinhas, também foram encontradas bactérias, mas não só as intestinais e os coliformes fecais – o teste mostrou também a presença de stafilococos, que podem provocar infecções.

É importante ressaltar ainda que não são todos os celulares e garrafinhas de água que estão contaminados – o risco existe em caso de falta de higiene desses objetos. Por isso, é nom sempre mantê-los limpos, como alertaram os especialistas – no caso da garrafinha, por exemplo, se ela tiver só água, basta água e detergente para limpar; se tiver outra coisa além de água, como shakes, sucos, proteínas ou isotônicos, é preciso usar também água fervente e uma escova para limpar, além de enxaguar o resíduo o quanto antes para evitar a formação de uma camada invisível de bactérias e restos de alimentos.

Já no caso dos celulares, a dica é usar álcool isopropílico, que tem menos água e impede a oxidação do aparelho, ou escolher uma película com ação bactericida. Outra dica importante é sempre higienizar as mãos com álcool gel, já que elas são um dos veículos de bactérias, como alertou o infectologista Caio Rosenthal.

Fonte: G1 / Bem Estar


Compartilhe:

Comentários: