Câncer de próstata e campanha Novembro Azul foram temas do Programa Encontro Marcado

 

Jayme Modesto

O Novembro Azul, símbolo maior da Campanha de Prevenção ao Câncer de Próstata, tendo o dia 17 de novembro, como dia mundial de combate ao câncer de próstata.

O Programa Encontro Marcado da TV Câmara, debateu o tema com o conceituado médico urologista Dr. Paulo Henrique. que alertou, que o combate desta doença tem que ser diário e ter como objetivos principais a busca pelo diagnóstico precoce e o esclarecimento de mitos com relação ao exame masculino.

“A próstata é o coração da urologia, mas temos que entender que o urologista vai além do tratamento dessa glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen”, destacou Dr. Paulo. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer, o câncer de próstata é o segundo mais comum no Brasil, ficando atrás somente dos tumores de pele, o melanoma. É uma doença silenciosa e muitos homens preferem fugir do assunto, não sendo possível preveni-la. Entretanto, quando mais precoce for diagnosticada, maior a chance de cura do paciente, podendo chegar a quase 100%”, esclareceu.

Dr. Paulo disse ainda que risco do câncer de próstata aumenta com o avançar da idade. No Brasil, a cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove são maiores de 55 anos.

O câncer de próstata apresenta ainda, um crescimento lento que pode chegar a 15 anos de evolução até ser descoberto. Ou seja, o paciente que foi diagnosticado aos 70 anos com a doença, já possuía alguma alteração celular a partir dos 55 anos.

Além da faixa etária, outro fator de risco para o câncer de próstata é o histórico familiar, como pai, irmãos ou tios que tiveram a doença antes dos 60 anos. Além disso, estudos recentes mostram que há um aumento no risco do câncer de próstata em homens com peso corporal elevado.

“Não existem orientações efetivas para que um homem saia do risco de ter câncer de próstata. Sabemos que a mudança no estilo de vida contribui para minimizar os riscos. A doença é mais agressiva em obesos, então a perda de peso é um componente importante nessa luta. A ingestão diária de legumes, verduras e frutas, principalmente as de coloração verde e amarelo, por questões de vitaminas específicas é algo que influencia de maneira positiva. A prática de atividade física de maneira regular, parar de fumar e de ingerir bebidas alcoólicas são formas objetivas de prevenção ao risco”, destacou.

 


Compartilhe:

Comentários: