Cotegipe cancela Carnaval e decreta estado de emergência

A festa momesca foi cancelada por causa dos prejuízos causados pelas chuvas que caíram nos últimos dias. Foram registrados danos em pontes, estradas e residências no município

resize-500x288_img-0022-2-1essa

Ruas ficaram alagadas (Foto: Flávio Vasco)

Cheilla Gobi

A Prefeitura de Cotegipe, no Oeste baiano cancelou o Carnaval Popular 2016, “Cotegipe Folia”, que seria realizado entre os dias 6 e 9 de fevereiro. Segundo o prefeito Marcelo Mariani, o evento foi cancelado em virtude dos prejuízos e transtornos pelo qual o município vem enfrentando nas últimas semanas com as fortes chuvas que caem na região.

O prefeito decretou estado de emergência no dia 25 de janeiro de 2016 através do decreto Nº 05/2016. Formalizou a situação perante o Ministério da Integração, em Brasília- DF.

Com a publicação do decreto, Mariani viajou para Salvador e Brasília, no intuito de viabilizar recursos junto aos governos estadual e federal para sanar os problemas ocasionados pelos desastres e minimizar o sofrimento da população.

Marcelo Mariani lamenta o cancelamento do evento cultural que o mesmo resgatou em sua gestão, mas garante que o momento não permite comemorações. “O momento é de sensibilização e toda a atenção e esforços estão voltados para os prejuízos e transtornos pelo qual o município vem enfrentando nas últimas semanas”, garantiu.

As chuvas já causaram muitos estragos, e diversas localidades do município se encontram sem condições de tráfego, a exemplo do distrito de Jupaguá, após a ponte da estrada de Água Piranga, que liga a comunidade ao município ter sido arrastada pelas águas das chuvas.

De acordo com informações publicadas no site flaviovasco.com, o canal construído no Riacho Brejo Grande ficou seriamente prejudicado. A comunidade de Barreirinho também sofreu impactos pela quantidade das águas que desceram da região serrana. Paus foram arrastados, árvores derrubadas, casas ficaram alagadas, principalmente aquelas próximas aos córregos. O asfalto que liga a BA 449 ao centro da cidade, Barreirinho e vila Santana está comprometido e para evitar transtornos ou até mesmo tragédias, resolveram interditar.

De acordo com o prefeito Marcelo Mariani, os prejuízos são inumeráveis.  “O município não tem como arcar com as despesas, não temos condições nem mesmo de amenizar a situação”, lamentou.

Prejuízos já identificados

Muitos dos estragos já foram identificados pela equipe do governo como: Destruição da ponte do povoado das Caraíbas; Demolição de ponte no povoado  de Água Piranga que dá acesso ao Distrito de Jupaguá;  Destruição da ponte que dá acesso ao povoado São José; Interrupção da estrada que dá acesso ao município de Wanderley; Queda da ponte do povoado Maracapú; Interrupção da estrada do povoado Iraque; Desabamento de casas na Reforma São Francisco; Perda de pastagens e criações; Invasão da Escola Municipal Juvenal Teixeira Maciel e perda de vários pertences; Todas as estradas vicinais do município estão intransitáveis, inclusive a BA 449 que liga a cidade de Cotegipe ao Distrito de Jupaguá, destruindo e sacrificando  pontes e bancas; Alagamentos em casas danificando pertences; Destruição de parte do canal de contenção da cidade, parte de concreto que passa o Riacho Brejo Grande; Ruptura do sistema de abastecimento de água – adutora sediada no Povoado da Água Piranga, ocasionando a suspensão do abastecimento de água potável no município.

“Estamos passando por uma crise econômica no país, município, receitas públicas escassas, e os desastres por causa das chuvas impossibilitam gastos com festas. Precisamos reerguer a cidade, principalmente a zona rural, e agir de outra forma seria incoerente. Diante do quadro, não temos a mínima condição e nem clima para realizar a folia de carnaval”, declara o prefeito.


Compartilhe:

Comentários: