Embasa promove plantio de mudas nativas do cerrado em Luís Eduardo Magalhães

A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) vem apoiando a recuperação de uma área degradada próximo ao rio de Pedras, em Luís Eduardo Magalhães (LEM), no Oeste da Bahia, com o plantio de mil mudas de espécies nativas do cerrado, como angico, ingá, ypê amarelo, jatobá, jacarandá, dentre outros. A ação pretende reduzir os impactos do avanço da erosão em uma área de quatro hectares e vem sendo realizada em parceria com o município.

Com a recomendação de recuperação da área por parte da Secretaria de Meio Ambiente, a técnica ambiental da Embasa, Joana Tomasi, explica que a ação terá uma grande importância para mitigar os efeitos da erosão no local.  “Pela ausência de vegetação nativa, este trecho onde vai ocorrer o plantio também é diretamente impactada pela água de chuva escoada pelos bairros Florais Léa e Solar dos Buritis. O objetivo é atenuar os danos causados ao meio ambiente e os impactos que provocam o assoreamento do rio de Pedras”, explica.

Ao acompanhar de perto a ação de plantio, o gerente regional da Embasa, Lucas Araújo, afirma ser fundamental a recuperação da área degradada que somente reforça o viés ambiental do serviço prestado pela empresa. “Por si só, o sistema de esgotamento sanitário tem uma função de evitar a contaminação dos rios e dos lençóis freáticos. Depois do plantio das mudas, uma equipe da Embasa continuará trabalhando para o desenvolvimento das mudas com os cuidados de irrigação, como forma de garantir a efetiva recuperação ambiental da área”, afirma.

Investimentos – A Embasa vem investindo R$ 28,8 milhões para garantir a expansão e melhorias no sistema de esgotamento sanitário em LEM. A empresa também está ampliando a rede para oito mil moradores dos bairros Conquista e Santa Cruz III. Atualmente, a Embasa beneficia cerca de 53 mil pessoas, em Luís Eduardo Magalhães, com a coleta e transporte para a estação de tratamento para garantir a destinação final e segura do efluente sem risco de degradar o meio ambiente.

Assessoria de Comunicação da Embasa

Unidade Regional de Barreiras (UNB)


Compartilhe:

Comentários: