Festa do Divino encerra festejos religiosos em São Desidério

Fotos: Ana Lúcia Souza

Ana Lúcia Souza
A manhã de 20 de setembro é diferente para os devotos do Divino Espírito Santo em São Desidério, pois neste dia é celebrada uma missa festiva para homenagear uma manifestação religiosa e cultural que ultrapassa gerações. A Igreja Matriz Nossa Senhora Aparecida ficou lotada durante a celebração presidida pelo bispo de Alagoinhas Dom Paulo Romeu e o padre Pedro Felipe.

Música, foguetes e apresentações marcaram o cortejo que partiu da casa do Imperador Édem Samuel até a Igreja. A festa do Divino é uma das festas mais populares comemoradas no município e que todos os anos registra grande participação de moradores da sede e zona rural do município, além de visitantes.

“Representa um privilégio, pois ser escolhido para Imperador desta grandiosa festa, é bênção e graça divina. É também a realização de um sonho de infância que durou 29 anos para se realizar, pautado na fé de quem nasceu e cresceu em berço católico. Foi uma caminhada muito gratificante pela qual evangelizando, levando o Espírito Santo de Deus para as famílias deste e de outros municípios, nos tornamos mais fortes em nossa missão de cristãos batizados por este mesmo espírito. Agradeço a Deus por tantas alegrias e pelo empenho de todos que se envolveram nessa caminhada”, agradeceu emocionado o Imperador da Festa, Édem Samuel.

Apresentações e momentos de ação de graça marcaram a missa que terminou com o sorteio do novo Imperador e da corte, responsáveis por organizar a festa. Geovane Ferreira de Souza foi sorteado Imperador de 2018. “Todos os anos coloco meu nome para participar do sorteio e sempre tive fé e esperança que um dia ainda seria sorteado. Estou muito feliz e com a força do Divino Espírito Santo e com o apoio dos amigos faremos uma linda festa ano que vem”, comentou. Após a transmissão da coroa todos se dirigiram para o Clube Esportivo Social de São Desidério – CESD, onde foi servido o popular almoço animado com muita música.

Homenagens – Este ano a Paróquia nossa Senhora Aparecida e a família do Imperador preparam um estande com o título de Memorial dos Imperadores que fez o resgate da trajetória histórica homenageando os imperadores desde 1989, quando São Desidério passou a ter paróquia.

História e tradição – A Festa do Divino tem início no mês de maio, quando a família do Imperador, juntamente com os foliões levam a bandeira, um dos símbolos da tradição, por todas as localidades do município, sendo o último local a sede, com intenção de arrecadar donativos para a festa. O festejo é coordenado pelo Imperador e sua corte formada por: Alferes da Bandeira (quem conduz a bandeira), Caudatários (responsáveis pelo isolamento da corte durante o circuito da casa até a Igreja), Procurador da Bandeira (encarregado por buscar interessados e adicionar seus nomes para participarem do sorteio da corte do Imperador do ano seguinte) e Capitão do Mastro (aquele que organizará juntamente com a comissão a Pegada dos Mastros, nos quais serão erguidas as bandeiras da Padroeira e do Divino, no primeiro sábado de setembro). A festa culmina com a missa e o farto banquete que é servido aos devotos e fiéis, uma característica marcante da tradição, que foi trazida de Portugal.


Compartilhe:

Comentários: