Fundesis realiza novas visitas de averiguação em Barreiras

img_visita_fundesis

Ascom Aiba

As visitas de inspeção nas entidades beneficiadas pelo Fundo para o Desenvolvimento Integrado e Sustentável da Bahia, Fundesis, continuam. A coordenadora do Fundo, Makena Thomé realizou, na última quinzena de agosto, visitas nas entidades PepVida e Cata-Vento, ambas de Barreiras. A prática faz parte do protocolo de averiguação da aplicação do dinheiro destinado à transformação social de crianças e jovens atendidos por cada uma dessas instituições.

Aprovada com o projeto de aquisição de equipamentos e materiais para a oficina de música e arte, o Instituto PepVida (Parceiros da Educação pela Vida), já recebeu a segunda parcela do projeto e realizou a compra de equipamentos musicais diversos que faltavam para as aulas. A oficina acontece duas vezes por semana com um total de 65 crianças com idades que variam de 02 a 12 anos, e que fazem parte da instituição. A primeira parcela foi utilizada para a compra de violões. Para a gestora, Márcia de Fátima da Conceição, o Fundo contribuiu para a valorização da entidade na sociedade.

“Antes, ninguém conhecia nosso trabalho, com a parceria do Fundesis conseguimos mostrar que somos sérios no que fazemos pelas crianças e jovens do bairro Vila Nova e conquistamos novos parceiros interessados em ajudar”, disse Márcia.

Na instituição Cata-Vento, no bairro de Ribeirão, a verificação foi sobre a compra de eletrodomésticos, como freezer, geladeiras, fogões industriais, liquidificadores, entre outros aparelhos. A entidade, que está presente em seis localidades de Barreiras, atende um total de 690 crianças e jovens com idade de 05 a 15 anos, oferecendo atividades recreativas e escolares no contra turno da escola fundamental. Os equipamentos serão utilizados para a preparação da merenda dos alunos.

Para a coordenadora do Fundesis, as visitas são de extrema importância para averiguar se o recurso está sendo empregado de acordo com o projeto aprovado. “Quando vamos até a instituição, é possível comprovar se o dinheiro está sendo bem aplicado e se condiz com o que foi pedido. Isso traz ainda mais credibilidade para o Fundesis e mais confiança para o doador e para quem deseja doar”, afirmou Makena.

 

 


Compartilhe:

Comentários: