Médicos, enfermeiros, assistentes sociais e psicólogos da Secretaria de Saúde de Barreiras participam de capacitação com equipe da Médicos Sem Fronteiras

Como forma de expandir conhecimentos e trocar experiências na área da saúde, nesta segunda-feira (9), um novo curso está sendo oferecido aos médicos, enfermeiros, assistentes sociais e psicólogos que atuam na Secretaria de Saúde de Barreiras. Com foco no manejo clínico de pacientes com Covid-19, o evento tem a condução de profissionais da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF), que estão no Oeste da Bahia com ações em quatro municípios cujo número de casos da doença foi considerado elevado. Barreiras não está entre as cidades em questão.

Após visita de cortesia da equipe da MSF aos locais estruturados pela Secretaria de Saúde para realizar ações de enfrentamento ao Coronavírus, os profissionais da ong foram convidados para compartilhar, junto às equipes de Barreiras, as experiências na condução do combate à doença em diferentes partes do mundo. Um primeiro encontro, na semana passada, foi direcionado para agentes comunitários de saúde e este segundo momento, realizado durante todo o dia, é dedicado aos demais profissionais da linha de frente da Covid-19.

O conteúdo aborda detalhes sobre manejo clínico, abordagem psicológica, assistência médica para pacientes com sintomas leves, moderados e graves, além de orientações sobre vacinas. “É uma oportunidade que traz novos conhecimentos vindos de uma organização humanitária com larga bagagem de atuação em diferentes partes do mundo”, avalia o secretário de Saúde de Barreiras, Melchisedec Alves das Neves que esteve no encontro acompanhado da subsecretária Jamile Rodrigues. Segundo ele, mais uma forma de atualização dos profissionais que atuam no município. “Objetivamos, com esta iniciativa, o aprimoramento e a excelência dos serviços oferecidos à população”, diz.

Sobre a MSF – A organização foi criada em 1971, na França, por jovens médicos e jornalistas, que atuaram como voluntários no fim dos anos 60 em Biafra, na Nigéria. Enquanto socorriam vítimas em meio a uma guerra civil brutal, os profissionais perceberam as limitações da ajuda humanitária internacional: a dificuldade de acesso ao local e os entraves burocráticos e políticos, que faziam com que muitos se calassem, ainda que diante de situações gritantes. MSF surge, então, como uma organização humanitária que associa ajuda médica e sensibilização do público sobre o sofrimento de seus pacientes, dando visibilidade a realidades que não podem permanecer negligenciadas. Em 1999, MSF recebeu o prêmio Nobel da Paz. (Fonte: https://www.msf.org.br/)

Dircom/PMB – 09.08.2021

 


Compartilhe:

Comentários: