Operação contra ocorrências criminais nos territórios agrícolas foi lançada no Oeste baiano

Polícia Militar lançou nesta sexta-feira, 06/10, a 4ª edição da Operação Safra. Unidades policiais farão ações de combate aos crimes contra o patrimônio na região de outubro de 2017 a abril de 2018

 

Operação Safra 2017/18 foi lançada pela Polícia Militar, na Associação Barreirense Aerodesportiva (ABA) | FOTOS: Cheilla Gobi

Cheilla Gobi DRT 4871/BA

Com objetivo de reprimir os crimes nas propriedades rurais dos municípios do Oeste da Bahia, através do policiamento ostensivo, a Operação Safra 2017/18 foi lançada pela Polícia Militar, no hangar 8 da Associação Barreirense Aerodesportiva (ABA), em Barreiras, nesta sexta-feira (6). No período de outubro de 2017 a abril de 2018, toda a área produtiva do Oeste, formada por sete setores da região, será vistoriada.

Marcaram presença no lançamento, o comandante do COPPM (Comando de Operações Policiais Militares da Bahia), Cel. Paulo Uzeda; comandantes das companhias envolvidas na Operação; além do diretor-geral da Adab, Paulo Cezar Simões, representantes dos sindicatos rurais, produtores e a vice-prefeita de Barreiras, Karlúcia Macêdo.

Realizada pelo quarto ano consecutivo, a operação faz parte das ações de articulação da Associação de Agricultores e Irrigantes do Oeste da Bahia e Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), junto ao governo do Estado da Bahia, para melhoria da segurança na zona rural do Oeste. Nesta época em que aumenta consideravelmente o índice de assaltos no campo, a ação proporcionará mais segurança às comunidades agrícolas, permitindo que o agricultor possa cuidar do plantio sem o temor de sofrer qualquer tipo de violência. Além disso, a ação da Polícia Militar também dará apoio ao trabalho da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) no controle fitossanitário e no trânsito de produtos e defensivos agrícolas.

Coronel Paulo Salomão Portugal de Souza, comandante do CPRO | FOTO: Cheilla Gobi

A operação envolve diversas companhias da Polícia Militar da Bahia (PM-BA) através da coordenação dos comandos de Policiamento Regional Oeste (CPRO) e de Policiamento Especializado (CPE). “Já estamos na 4° edição dessa operação e a cada ano temos nos aprimorado mais, com recursos e o uso de novas tecnologias. A PM está com as ferramentas necessárias, com o foco de fazer a repressão desses crimes. Essa 4° edição será um sucesso com o desempenho desses guerreiros do Oeste”, disse o Coronel Paulo Salomão Portugal de Souza, comandante do CPRO.

Diretor-geral da Adab, Paulo Cezar Simões | FOTO: Cheilla Gobi

O diretor-geral da Adab, Paulo Cezar Simões falou da importância da região Oeste para o estado da Bahia, devido o Oeste ser um dos grandes celeiros da produção agrícola. “Essa operação será muito bem sucedida e precisa ser bem acolhida por todos aqui no Oeste. A Adab está disposta e de braços abertos para atender qualquer demanda da região”, garantiu Paulo Simões.

De acordo com o presidente em exercício da Aiba, Luiz Pradela, os produtores almejam por segurança em suas propriedades, portanto a importância da parceria para realização da Operação safra. “O intuito é coibir crimes, como roubos de sementes, adubos. A partir da parceria entre Estado e a classe rural poderemos ter mais eficiência na proteção dos produtores rurais, das pessoas do campo, bem como da população em geral, todos nós ganhamos com isso”, salientou Pradela.

Serão empregados aproximadamente 150 policiais das mais diferentes unidades: Comando de Policiamento Regional Oeste, Companhia Independente de Policiamento Tático (Oeste), 3ª Companhia Independente de Polícia Rodoviária (CIPRv), 85ª Companhia Independente de Polícia Militar (Luís Eduardo Magalhães), Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cerrado) e Grupamento Aéreo.

Cel. Paulo Uzeda; comandantes das companhias envolvidas na Operação | Foto: Cheilla Gobi

“Com a criação e atuação da ronda rural, teremos resultados muito melhores no campo e paz para os produtores. Segurança é o que todos nós buscamos e se não fosse por essa parceria, nós não chegaríamos a lugar algum, parceria essa, que nos leva a criar instrumentos de ação. E tudo isso me deixa muito feliz, pois percebo que estamos no caminho certo. Agradeço a Aiba e Abapa”, disse o Cel. Paulo Uzeda; comandantes das companhias envolvidas na Operação.

Durante seis meses, eles devem percorrer uma área de mais de 91 mil km². Para tanto, serão utilizadas viaturas na patrulha terrestre e um helicóptero estará de prontidão em sua base para decolar e fazer a varredura aérea, caso seja necessário.

FOTO: Cheilla Gobi

FOTO: Cheilla Gobi

 


Compartilhe:

Comentários: